Acessar o conteúdo principal

Governo francês deve anunciar novas restrições em Paris e outras cidades contra Covid-19

A França registra uma alta de novos casos de Covid-19, mas também um aumento no número de pessoas em reanimação nos hospitais.
A França registra uma alta de novos casos de Covid-19, mas também um aumento no número de pessoas em reanimação nos hospitais. REUTERS - ERIC GAILLARD
Texto por: RFI
3 min

O primeiro-ministro francês, Jean Castex, deve se reunir por videoconferência nesta quinta-feira (1) com os prefeitos de Paris, Lille, Lyon e Grenoble, além de representantes das agências regionais da Saúde. Segundo informações da rádio France Info, ele deverá pedir que novas medidas sejam adotadas para controlar a propagação do SARS-Cov-2 nessas cidades. Em Paris, quase 30% dos leitos das unidades de terapia intensiva já estão ocupados, segundo as últimas informações. 

Publicidade

A capital pode passar para o nível de "alerta máximo", o último na escala recentemente estabelecida pelo governo francês que determina o nível de circulação do vírus. A expectativa é de que bares e restaurantes fechem em Paris, assim como foi o caso em Marselha. Outros estabelecimentos públicos, "que não sigam de maneira rigorosa" o protocolo sanitário, também poderão ter que interromper o funcionamento.

As medidas poderão ser tomadas por tempo determinado e reavaliadas após alguns dias. Caso seja necessário, o Estado poderá impor novas restrições. Objetivamente, pessoas próximas de Castex, que foi o arquiteto do pós-confinamento na França, dizem que "a situação não é boa."

O primeiro-ministro espera, em um primeiro momento, que as decisões sejam tomadas pelos políticos locais. Mas, se algumas medidas forem julgadas muito impopulares, ele já disse que vai assumi-las. A prefeita de Paris, Anne Hidalgo, já declarou em certas ocasiões ser contra o fechamento de bares e restaurantes.

Neste contexto, muitos franceses questionam porque as escolas continuam abertas. Em entrevista ao jornal Le Figaro, o ministro da Educação, Jean Michel Blanquer, argumenta que o risco nos estabelecimentos é pequeno, principalmente até a quarta série do Ensino Fundamental. Nessa faixa etária, até 10 anos, os casos graves são raros. Os pediatras franceses também afirmam que as crianças transmitem pouco a doença. Muitos imunologistas e infectologistas dizem, entretanto, que ainda faltam estudos que pemitam fazer essa afirmação. 

Paris em alerta máximo?

Em Paris, a situação piora dia após dia. De acordo com as últimas informações da agência regional de Saúde, 404 pessoas foram hospitalizadas na capital por conta da Covid-19 nesta terça-feira (29), sendo 94 nas unidades de terapia intensiva. "Nos diferentes critérios do governo para decretar zona de alerta máximo, nós já ultrapassamos dois", declarou Anne Souyris, secretária municipal encarregada da saúde.

O risco, ela lembra, é ter que escolher os doentes que poderão receber atendimento nos hospitais. Outro critério importante é a taxa de incidência: no caso do alerta máximo, ela deve ser pelo menos de 250 casos positivos para 100.000 habitantes - em Paris ela está próxima de 260. Para ser considerada relativamente sob controle, essa taxa não deve ultrapassar os 50 casos.

Ela também criticou que o possível fechamento de bares e restaurantes não seja acompanhado de medidas mais rígidas nas escolas, liceus e universidades. "Vocês consideram que isso é coerente?", questionou.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.