Acessar o conteúdo principal

Em meio à pandemia de Covid, França inicia campanha de vacinação contra gripe

A campanha de vacinação contra a gripe começa na terça-feira, 13 de outubro. As autoridades estão incentivando a vacinação para evitar a saturação dos serviços de saúde, já fragilizados com a epidemia de Covid-19.
A campanha de vacinação contra a gripe começa na terça-feira, 13 de outubro. As autoridades estão incentivando a vacinação para evitar a saturação dos serviços de saúde, já fragilizados com a epidemia de Covid-19. AFP - DAMIEN MEYER
Texto por: RFI
4 min

As autoridades sanitárias francesas desejam imunizar ao menos 75% da população considerada de risco. A campanha de vacinação contra a gripe começou nesta terça-feira (13) na França, priorizando as pessoas para quem a vacina é recomendada pois não há, inicialmente, doses para todo mundo.

Publicidade

A meta de 75%, que corresponde ao objetivo definido pela Organização Mundial da Saúde (OMS), é significativamente superior ao alcançado no ano passado. Em 2019, "apenas 47,8%" da população considerada de risco, isto é, os maiores de 65 anos ou pessoas com comorbidade, foram vacinadas na França, lembra o Ministério da Saúde em um comunicado. Anualmente, entre 2 a 6 milhões de franceses são contaminados pelo vírus que provoca a gripe.

“Durante a temporada 2019-2020, (...) três quartos das pessoas internadas em terapia intensiva por influenza severa eram elegíveis para vacinação por apresentarem um dos fatores de risco (...). Porém, menos de um terço deles foi vacinado”, informa o ministério.

Este ano "um dispositivo de comunicação em grande escala" será implantado para encorajar as pessoas com fatores de risco a se vacinar”, indica o texto.

Diante da possibilidade da circulação concomitante neste inverno do vírus da gripe e do Sars-CoV-2, que provoca a Covid-19, as autoridades de saúde desejam evitar um grande fluxo de pacientes que sofrem de uma forma grave de gripe aos hospitais, que já estão perto da saturação com a nova alta de casos de coronavírus.

Vacinação primordial

Por isso, segundo Jean-Christophe Calme, vice-presidente do sindicato dos médicos, entrevistado pela RFI, a vacinação este ano é primordial. "Em 2020, é ainda mais importante se vacinar do que em anos anteriores para evitar uma internação no hospital, que se transformou num lugar de risco de contaminação. E isso é primordial para o nosso sistema de saúde, para que possamos passar esse momento de maneira serena", declarou o médico. Ele indicou que a gripe mata entre 8 mil e 15 mil pessoas todos os anos no país.

A vacina contra a gripe é recomendada para pessoas com mais de 65 anos, para quem sofre de patologias crônicas (insuficiência respiratória, insuficiência cardíaca, diabetes, insuficiência renal, asma, doença pulmonar obstrutiva, etc.) ou com obesidade mórbida (índice de massa corporal superior a 40). Pacientes com doenças autoimunes, mulheres grávidas e pessoas que tenham proximidade com bebês menores de 6 meses também são prioritários, assim como profissionais de saúde.

Aumento da demanda

A maioria das pessoas visadas pela campanha, cerca de 16 milhões, receberá um voucher do Sistema Público de Saúde para tomar a vacina de graça. O restante da população pode se vacinar com um pedido feito “pelo seu médico, enfermeiro ou farmacêutico”.

O Ministério da Saúde da França prevê “um aumento da procura este ano” pela vacina e pede que “as pessoas que não apresentam nenhum risco particular, mas que gostariam de ser imunizadas, adiem a vacinação até ao início de dezembro”. Antecipando o aumento da demanda, a França encomendou "30% de doses adicionais” de vacinas disponíveis que serão fornecidas continuamente pelos laboratórios farmacêuticos até o final da campanha, em janeiro de 2021. Em 2019, foram consumidas 12 milhões de doses.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.