Acessar o conteúdo principal

Covid-19: toque de recolher na França pode se estender até final de dezembro, anuncia premiê

O primeiro-ministro Jean Castex concede entrevista coletiva no início da tarde, juntamente com os ministros da Saúde, do Interior, do Trabalho e da Economia, para esclarecer as novas regras para frear a epidemia na França.
O primeiro-ministro Jean Castex concede entrevista coletiva no início da tarde, juntamente com os ministros da Saúde, do Interior, do Trabalho e da Economia, para esclarecer as novas regras para frear a epidemia na França. AFP - LUDOVIC MARIN
Texto por: Andréia Gomes Durão
5 min

Em sequência ao anúncio do presidente francês, Emmanuel Macron, nesta quarta-feira (14) sobre o toque de recolher imposto à grande região parisiense e a oito cidades do país, o primeiro-ministro Jean Castex relevou mais informações sobre as novas medidas para conter a segunda onda de contaminações na França, durante coletiva de imprensa nesta quinta-feira (15).

Publicidade

Após expor um panorama do agravamento dos casos de contaminação e de internações pela Covid-19, Castex ratificou a informação dada na véspera por Macron sobre a urgência e a obrigatoridade de bloquear a circulação de pessoas e fechar locais públicos entre 21h e 6h a partir da meia-noite da próxima sexta-feira (16), como estatégia para a redução do contato social.

“Lojas, serviços e locais abertos ao público serão fechados nos departamentos e regiões metropolitanas onde será determinado um toque de recolher sanitário, com algumas exceções", revelou o premiê, apontando como ressalvas estabelecimentos de saúde e serviços de entrega a domicílio.

Deslocamentos serão permitidos, sob apresentação de justificativa, por motivos de saúde, trabalho, para embarques em trens ou aviões (sob apresentação de bilhetes de embarque), para ajudar pessoas próximas em situação de vulnerabilidade e para passeios de animais de estimação. Como durante os meses de lockdown na França – entre março e maio deste ano –, o modelo de justificativa é acessível no site do governo e pode ser baixado e apresentado em formato digital nos telefones celulares.

As novas medidas restritivas proíbem também festas e todo tipo de reunião social, para evitar a aglomeração de pessoas, em todo o território. Até então essa restrição era aplicada apenas nas "zonas de alerta máximo". Previsto, a princípio, pelo período de quatro semanas, o toque de recolher pode se estender até o final de dezembro.

Cerca de 12 mil seguranças e policiais estarão encarregados de controlar o cumprimento das medidas nas ruas de Paris e outras oito metrópoles: Grenoble, Lille, Lyon, Aix-Marselha, Rouen, Montpellier, Saint-Etienne e Toulouse. Quem desrespeitar a determinação pode ter de pagar uma multa € 135, podendo passar a € 1.500 em caso de reincidência.

As regras continuam

Durante os horários de abertura, os restaurantes devem continuar a respeitar as regras sanitárias que permitem, no máximo, seis pessoas por mesa. A medida é válida para todo o território francês. “Este protocolo reforçado, que anteriormente só era válido nas chamadas 'zonas de alerta máximo', prevê também o registro dos nomes dos clientes para facilitar o acompanhamento dos contatos”, acrescentou Castex.

A regra de utilização de um para cada dois assentos continua válida para teatros, cinemas e outras casas de espetáculos. Já as universidades devem preservar a ocupação de apenas 50% da capacidade do público para seus ambientes, ratificou o primeiro-ministro, que expressou seu orgulho com o "sucesso" do retorno às aulas em setembro.

O cenário do sistema de saúde do país recebeu grande atenção do primeiro-ministro durante seu pronunciamento. Em resposta às críticas à capacidade de atendimento, Castex defendeu a dedicação, mas também o esgotamento das equipes de saúde. O premiê lembrou que a formação de profissionais especializados demanda tempo, quando a propagação do coronavírus exige respostas rápidas.

Castex anunciou ainda um segundo aumento salarial aos profissionais da saúde, de € 93 mensais, que serão antecipados e pagos pelo governo até o final do ano. Ele anunciou também que o governo encomendou 5 milhões de testes antigênicos, além de manter os testes do tipo PCR.

Ajuda às empresas

Para aliviar as consequências econômicas das novas medidas, o ministro francês da Economia, Bruno Le Maire, informou que todas as empresas com menos de 50 funcionários, localizadas nas regiões onde o toque de recolher se tornará obrigatório, poderão se beneficiar do fundo de solidariedade em até € 1.500, se a perda de volume de negócios, durante o período da medida, for de no mínimo 50%. O ministro também anunciou que o esquema de reembolso de salários efetuado pelo Estado será prorrogado de 31 de dezembro de 2020 a 30 de junho de 2021.

Pessoas em situações de vulnerabilidade receberão uma ajuda de € 150 do Estado, além de € 100 adicionais para cada filho, o que deve beneficiar cerca de 4,1 milhões de pessoas.

Além do anúncio das novas regras sanitárias, Castex reiterou a importância do comprometimento individual no respeito às medidas de prevenção, como o uso de máscaras e a redução de contatos sociais. O premiê também se disse solidário com todos os proprietários de estabelecimentos que, apesar dos esforços para o cumprimento dos protocolos sanitários, serão obrigados a fechar suas portas novamente. “Todas as nossas energias estão voltadas contra a doença”, enfatizou o chefe de governo.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.