Acessar o conteúdo principal

Promoções de hotéis em Paris driblam horário do toque de recolher com jantar tardio

Vista do restaurante do Terrass Hotel, em Montmartre, que oferece aos clientes a possibilidade de jantar até as 23h e passar a noite no local pelo preço da multa prevista para os infratores do toque de recolher.
Vista do restaurante do Terrass Hotel, em Montmartre, que oferece aos clientes a possibilidade de jantar até as 23h e passar a noite no local pelo preço da multa prevista para os infratores do toque de recolher. © Facebook Terrass Hotel
4 min

O toque de recolher em vigor em Paris e mais oito cidades francesas, entre 21h e 6h, fez os gerentes de hotéis transformarem rapidamente a restrição em nova oferta comercial, além de uma ocasião de driblar a proibição do governo. Desde o último fim de semana, vários estabelecimentos da capital oferecem a fórmula "jantar com pernoite", uma maneira de garantir aos clientes o prazer de comer até 23h ou mais, se quiserem, e ainda passar uma noite diferente da rotina, sem temer uma infração.

Publicidade

Como no resto do mundo, os hotéis franceses sofrem com a prolongada crise sanitária provocada pelo coronavírus. Enquanto os restaurantes e bares estavam fechados durante o confinamento, entre meados de março e o começo de junho, os hotéis nunca foram obrigados a fechar suas portas, nem seus serviços de cozinha. Difícil era encontrar clientes durante o período em que as fronteiras estiveram fechadas. Essa crise inesperada acabou fomentando novas ideias e a necessidade de reinventar os serviços oferecidos.  

Depois, os turistas estrangeiros de fora do continente praticamente desapareceram e o setor tenta, de variadas maneiras, sobreviver aberto enquanto a tempestade não passa. Assim, nos últimos meses, surgiram promoções para conhecer os cinco estrelas ou "palácios" de Paris, como são chamados os hotéis de altíssimo luxo. Uma delas abre a possibilidade de reservar apenas meia diária em horário diurno.

Desde 17 de outubro, quando entrou em vigor o toque de recolher em Paris, a promoção na moda é "venha jantar em nossos restaurantes e fique para dormir". O alvo é uma clientela que não quer mudar de hábitos, nem comer mais cedo, insistindo em manter acesa a sensação de estar desfrutando a vida, independentemente do vírus.

Ironia: preço da noite é igual ao valor da multa para quem desrespeita o toque de recolher

Os nomes dados às promoções são, às vezes, provocativos em relação às medidas de restrição impostas pelo governo. Assim, num hotel com vista panorâmica de Paris, no bairro de Montmartre, é possível jantar até as 23h e a fórmula "jantar + quarto" sai pelo valor da multa aos infratores do toque de recolher: € 135 por pessoa, cerca de R$ 890.

Os gerentes multiplicam os atrativos para garantir a ocupação. A "escapada" parisiense pode transportar o cliente para a Itália, com um jantar gastronômico preparado por um chef italiano, ou fazê-lo experimentar um cardápio vegano. Outras regalias possíveis são uma sessão em spa privativo; garrafa de champagne gratuita no quarto, para encerrar a noite; café da manhã continental e até mesmo horários livres de check-in e check-out.

Hotéis de todas as faixas de preço se adaptaram a esse tipo de oferta, com pacotes a partir de € 59 a noite (R$ 390), incluindo o jantar.

A partir deste sábado, mais 38 departamentos franceses estarão sujeitos ao toque de recolher. Diante das dificuldades em fazer os franceses compreenderem a necessidade de respeitar o distanciamento físico, para reduzir a alta circulação do vírus em praticamente todo o país, o governo tem como opções para os próximos dias antecipar o horário do toque de recolher de 21h para 19h ou, em último caso, até decretar um novo confinamento nas áreas mais afetadas pela epidemia.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.