Acessar o conteúdo principal

Candidata a Miss França é alvo de insultos antissemitas nas redes sociais

A Miss Provença, April Benayoum, foi alvo de comentários racistas no fim de semana depois que afirmou ser filha de um israelo-italiano.
A Miss Provença, April Benayoum, foi alvo de comentários racistas no fim de semana depois que afirmou ser filha de um israelo-italiano. AFP - LOIC VENANCE
Texto por: RFI
4 min

Não apenas de glamour vive uma Miss. A candidata April Benayoum, que representava a região da Provença no maior concurso de beleza da França, foi alvo de comentários antissemitas neste fim de semana que levaram o Ministério Público de Paris a abrir uma investigação.

Publicidade

"Eu mesma tenho origens bem variadas: minha mãe é servo-croata e meu pai é israelo-italiano", afirmou April Benayoum, de 21 anos, em um vídeo do concurso Miss França, no último sábado (19). Na gravação, a jovem se descreve como "uma apaixonada por geografia e descoberta de outras culturas".

Momentos depois da difusão de seu perfil, publicações antissemitas e xenófobas eram publicadas nas redes sociais da França. Alguns comentários faziam referência ao Holocausto, outros pediam o boicote de sua candidatura devido às origens israelenses. 

As agressões geraram uma onda de indignação na França da parte de representantes políticos e de grupos de defesa dos direitos humanos. Nesta segunda-feira (21), o Ministério Público de Paris anunciou a abertura de uma investigação por "injúrias de caráter racista e incitação de ódio racial"

O ministro francês da Justiça, Eric Dupond-Moretti, afirmou que a Justiça "abrirá os olhos" e encontrará os autores das mensagens. Já o ministro do Interior, Gérald Darmanin, se declarou "profundamente chocado", garantindo que "os serviços de polícia estão mobilizados".

Twitter é criticado

"É um sinal enviado aos autores [das agressões] para lhes dizer que não ficará sem punição fazer esse tipo de declaração antissemita já que eles serão, eu espero, processados", afirmou a ministra francesa da Cidadania, Marlène Schiappa, que também expressou sua revolta pelo fato de algumas publicações seguirem on-line. "Alguns tuítes ainda estão publicados: isso não é aceitável", reiterou. 

A União dos Estudantes Judeus da França responsabilizou o Twitter pela magnitude da polêmica. "O Twitter poderia ter bloqueado rapidamente a associação das palavras 'miss Provença/Israel' e ativar seus filtros para apagar de forma direta essas publicações", afirmou a presidente da organização, Noémie Madar. 

"Não quis provocar nada"

Em entrevista ao jornal francês La Provence, April Benayoum lamentou que "em pleno 2020 seja necessário se mobilizar para que isso tenha fim". "Não quis provocar nada. A França é um país cosmopolita, as candidatas a miss têm diferentes origens, culturas, vêm de diferentes regiões. É isso o que é bonito nessa competição", declarou. 

Em entrevista à TV francesa, a vencedora do Miss França, Amandine Pétit, também expressou seu apoio à colega, dizendo-se "extremamente decepcionada" com "afirmações sem cabimento". "Jamais poderia imaginar que poderíamos nos deparar com esse tipo de situação hoje em dia", comentou.

A Miss Provença ficou em segundo lugar na competição. No total, 29 candidatas francesas concorreram nesta 91a edição do prêmio.

Amandine Pétit foi eleita a Miss França 2021.
Amandine Pétit foi eleita a Miss França 2021. © Sipa-MissFrance Twitter

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.