Acessar o conteúdo principal

Governo francês corre atrás do atraso e anuncia abertura de postos de vacinação contra Covid-19

Na França, o governo tenta acelerar a campanha de vacinação após fortes críticas à estratégia considerada muito lenta.
Na França, o governo tenta acelerar a campanha de vacinação após fortes críticas à estratégia considerada muito lenta. AP - Martin Bureau
Texto por: RFI
5 min

Após vários dias de duras críticas de médicos e da oposição pela lentidão no ritmo de vacinação dos franceses contra a Covid-19, o ministro da Saúde, Olivier Verán, anunciou nesta terça-feira (5) uma aceleração e simplificação do calendário vacinal na França. As medidas incluem a abertura de postos de vacinação e um adiantamento de etapas que só estavam previstas para o mês de fevereiro.

Publicidade

Bombeiros e pessoas que prestam serviços para idosos em seus domicílios foram autorizados a receber a vacina contra o coronavírus a partir desta terça-feira (5), explicou Verán em entrevista à rádio RTL. A única condição é que elas tenham mais de 50 anos de idade.

Depois de antecipar para o início desta semana a imunização dos profissionais que trabalham em hospitais, esta é a segunda tentativa do governo de apagar o enorme incêndio criado na mídia pela demora na imunização dos franceses. A parcela da população que deseja se vacinar (cerca de 40%) vê o país como lanterninha na Europa.

Até a noite de segunda-feira (4), apenas duas mil pessoas tinham recebido a primeira dose da vacina na França, contra milhares no Reino Unido e na Alemanha. "Estenderemos a vacinação no final de janeiro para pessoas com mais de 75 anos”, afirmou o ministro da Saúde. Esse público representa 5 milhões de pessoas. Verán também informou que médicos poderão prescrever a vacina para pacientes que estejam hospitalizados e sejam considerados de risco, embora não estivessem incluídos na primeira fase da vacinação.

Além disso, o ministro declarou que "até a tarde desta quarta-feira (6), 100 postos de vacinação serão abertos em todo o país". "Na semana que vem, serão mais 300 centros e 500 a 600 até o final de janeiro", prometeu Verán. Ele detalhou que ginásios esportivos e salas municipais serão mobilizados para esse objetivo.

A França recebe atualmente 500.000 doses por semana da vacina fabricada pela parceria Pfizer/BioNTech. A partir de amanhã, quando a Agência Europeia de Medicamentos deve autorizar o uso do imunizante da Moderna no bloco, o Ministério da Saúde francês poderá contar com o reforço de 500.000 unidades mensais do produto americano. Mas as duas vacinas requerem duas injeções em um intervalo de três semanas para alcançar uma eficácia superior a 90% contra o desenvolvimento da Covid-19. A maioria dos epidemiologistas antecipa momentos de tensão e de provável ruptura nos estoques.

Muitos médicos evocam uma necessidade urgente de acelerar o processo. As hospitalizações por Covid-19 (24.962) estão em seu nível mais alto desde 21 de dezembro e continuaram a aumentar nas últimas 24 horas no território francês. Além disso, pelo menos dez casos da variante do Sars-CoV-2 altamente contagioso diagnosticado no Reino Unido foram descobertos na França.

O governo francês tinha previsto vacinar até o fim de janeiro 1,2 milhão de cuidadores e idosos residentes em casas de repouso, mas foi surpreendido pela agilidade e capacidade de organização dos vizinhos. Especialistas e prefeitos pressionam há dias pela abertura de postos de vacinação.

"Velocidade dos vizinhos será alcançada", diz ministro

“A velocidade de cruzeiro na vacinação na França vai alcançar a dos nossos vizinhos nos próximos dias”, garantiu o ministro. Mas as críticas não calam e a oposição fala em "desperdício de vidas" e "chances perdidas" pelo procedimento burocrático que envolve uma consulta médica e um prazo de reflexão de quatro dias antes da primeira injeção, no caso dos idosos residentes em casas de repouso. Verán disse que para o restante da população tudo isso será simplificado.

Nos próximos dias, os franceses que desejam ser vacinados também poderão se inscrever em um site do Ministério da Saúde ou no aplicativo de rastreamento de casos disponível para instalação nos celulares. Os detalhes serão fornecidos na quinta-feira (7) em uma conferência de imprensa organizada com o primeiro-ministro Jean Castex. Com esta aceleração do calendário vacinal, mais de 3 milhões de pessoas poderão estar vacinadas até o fim do mês, às quais se juntarão 5 milhões de franceses com mais de 75 anos que moram sozinhos ou com familiares.

“Também vamos aumentar as encomendas de vacinas em nível europeu para podermos acelerar o ritmo e a intensidade da entrega dos lotes destinados à França”, frisou o ministro. De todos os países da Europa, apenas a Holanda não iniciou ainda sua campanha de vacinação contra a Covid-19. As primeiras injeções estavam previstas para ocorrer na sexta-feira (8) em solo holandês, mas também foram antecipadas para amanhã.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.