França entra na penúltima fase antes do relaxamento total das medidas contra a Covid-19

Apesar da nova fase do relaxamento das medidas contra a Covid-19 que entram em vigor nesta quarta-feira (9), o uso de máscara e o distanciamento físico continuarão sendo obrigatórios.
Apesar da nova fase do relaxamento das medidas contra a Covid-19 que entram em vigor nesta quarta-feira (9), o uso de máscara e o distanciamento físico continuarão sendo obrigatórios. © Corbis via Getty Images - Frederic Soltan

Os franceses se preparam para encarar a reta final do plano do governo para flexibilizar as medidas de segurança sanitária contra a Covid-19. A partir desta quarta-feira (9), entra em vigor uma terceira e penúltima etapa antes do relaxamento total das restrições contra a doença.

Publicidade

Duas principais medidas se destacam nesta nova fase: o toque de recolher noturno passará das 21h para as 23h e o "passe sanitário" entra em vigor. O mecanismo será disponível por meio da aplicação TousAntiCovid (Todos contra a Covid), em que estará registrado o certificado de vacinação ou resultados de testes de PCR negativos. 

O passe sanitário será exigido para eventos com aglomerações de mais de mil pessoas, como festivais, salões ou competições esportivas em ginásios e estádios, e também para viajar. No entanto, não será obrigatório para a frequentação de restaurantes, teatros e cinemas. Para quem não quiser baixar o aplicativo, será possível imprimir e apresentar um QR code em papel. 

Outras mudanças marcam a penúltima fase do relaxamento das medidas anticovid na França. A partir desta quarta-feira, os restaurantes e bares poderão voltar a receber os clientes no interior, mas ocupando apenas 50% de seu espaço total. Já as áreas exteriores poderão utilizar 100% de sua capacidade, mas com um limite de seis pessoas por mesa. Nas lojas e supermercados, os espaços por cliente passam de 8m2 a 4m2

Para os praticantes de atividades físicas e esportivas será o fim de uma longa espera. Os ginásios, academias e piscinas cobertas, fechados desde outubro de 2020, vão poder novamente acolher o público, mas ocupando apenas 50% de seus espaços. Ao ar livre, as atividades esportivas estão autorizadas, mas com um limite de 25 pessoas. 

Do lado dos espectadores, seja em espaços cobertos seja ao ar livre, o limite da capacidade de acolhimento é de 65% e, no máximo, 5 mil pessoas sentadas. Já para as competições amadoras em áreas exteriores, no máximo 500 pessoas poderão participar.

Boas notícias também para o setor da cultura. Os museus, que reabriram em 19 de maio, poderão dobrar a capacidade de público, passando de 8 m² a 4 m² por visitante. Cinemas, teatros, salas de espetáculos e festivais ao ar livre passarão a acolher a 65% de sua capacidade e até 5 mil pessoas.

No mundo do trabalho, a obrigação do home office deixa de valer. Em negociação com os empregadores, as regras no escritórios são flexibilizadas a partir de quarta-feira, permitindo uma volta progressiva dos trabalhadores. Já nas escolas, os estudantes passarão a um regime semipresencial e as salas poderão utilizar 50% da capacidade até setembro. 

Fim das medidas em 30 de junho

A terceira fase do plano de flexibilização das medidas sanitárias da França se estende até 30 de junho, quando todas as restrições serão retiradas. Daqui a três semanas, o toque de recolher deixará de valer e será o fim dos limites de acolhimento do público em todos os locais.

A partir de 30 de junho também será possível participar de um evento de mais de mil pessoas, seja no interior seja ao ar livre e sem a necessidade de apresentação do passe sanitário. No entanto, o governo deixa claro que não há nenhuma data prevista, até o momento, para o fim das medidas básicas contra a Covid-19, como o uso de máscara, a higienização frequente das mãos e o distanciamento físico. As autoridades também salientam que o processo de relaxamento poderá ser revisado, caso a situação sanitária volte a se agravar.

No entanto, esse não parece ser o caso. De acordo com o ministro da Saúde, Olivier Verán, "há uma diminuição de 20% a 25% da circulação do vírus a cada semana", além de uma taxa de hospitalização comparável a setembro de 2020, antes da segunda onda da doença. Dados divulgados na noite de segunda-feira (7) apontam que 14.323 pessoas contaminadas pela Covid-19 estão atualmente hospitalizadas na França, 2.472 em estado grave. 

O avanço na vacinação também contribui para a melhora da situação sanitária. Pouco mais de 28,5 milhões de franceses (54,6% da população adulta) receberam ao menos uma dose de um imunizante anticovid. Quase 13 milhões de pessoas (24,4% da população adulta) estão completamente imunizadas. 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.