França: Festa da Música celebra início do verão no hemisfério norte e fim do toque de recolher

Apesar das restrições, alguns não resistiram a tentação e improvisaram alguns acordes nas ruas.
Apesar das restrições, alguns não resistiram a tentação e improvisaram alguns acordes nas ruas. REUTERS - GONZALO FUENTES

O verão começou nessa segunda-feira (21) no hemisfério norte e, como manda a tradição, a França celebra a data com a sua Festa da Música. O evento coincide esse ano com a flexibilização de várias medidas sanitárias que estavam em vigor há meses por causa da pandemia de Covid-19. O toque de recolher foi suspenso na véspera, permitindo à população celebrar a data até tarde. Mas as autoridades pedem vigilância, evitando aglomerações.

Publicidade

Com a queda no número de contaminações registrada nas últimas semanas e a aceleração da campanha de vacinação, o governo francês decidiu liberar a Festa da Música. Em um sinal de volta à vida normal, as autoridades também suspenderam na véspera o toque de recolher, que vinha sendo reduzido progressivamente desde sua instauração em outubro. A medida incita a população a ficar na rua até mais tarde nessa segunda-feira, dia mais longo do ano, quando a noite não cai antes das 22h em boa parte da França.

Tradicionalmente, a Festa da Música é o momento em que grandes shows são organizados em todo o país, mas principalmente quando músicos profissionais e amadores tocam em bares, praças e calçadas, em shows muitas vezes improvisados. Para esta edição, os concertos em bares foram autorizados, mas os mini shows informais foram proibidos. Além disso, o uso de máscaras de proteção foi recomendado pelas autoridades e, oficialmente, as aglomerações devem ser evitadas, mesmo se a medida vai na contramão de uma festa popular.

Os shows com capacidade para mais de 1.000 pessoas foram autorizados, mas o público terá que provar que já foi vacinado ou apresentar um teste negativo de Covid-19. Tanto os eventos em salas fechadas como ao ar livre não podem ultrapassar 65% de sua capacidade de público, no limite de 5.000 pessoas.

2.300 policiais mobilizados em Paris

Um concerto de música eletrônica com Jean-Michel Jarre é organizado no Palácio do Eliseu, sede da presidência francesa, e será transmitido na televisão e nas redes sociais. As quadras de Roland-Garros também se transformaram em um grande palco, no qual se apresentam cerca de 40 artistas, principalmente de música popular francesa, diante de um público de 4.000 pessoas testadas ou vacinadas, sentadas e usando máscara de proteção. A programação também é transmitida pela televisão.

Em Paris, 2.300 policiais foram mobilizados especialmente para tentar fazer com que a população respeite as restrições que foram mantidas. As autoridades temem episódios como os registrados há exatamente um ano, quando se pensava ter virado a página da pandemia, logo após a primeira onda do surto e que festas gigantescas, improvisadas, foram vistas em várias cidades. Algumas semanas depois, a curva de novos casos de coronavírus voltava a subir.

Temendo essa situação, algumas cidades preferiram abrir mão da celebração. Estrasburgo, no leste do país, foi uma das localidades que anularam sua Festa da Música este ano.

(Com informações da AFP)

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.