Incidência de Covid volta a crescer e França não descarta 4ª onda já no final de julho

O ministro da Saúde francês, Olivier Véran, alertou que todos os índices de contágio voltaram a crescer no país devido a variante Delta e não descartou uma quarta onda da epidemia a partir do final de julho na França.
O ministro da Saúde francês, Olivier Véran, alertou que todos os índices de contágio voltaram a crescer no país devido a variante Delta e não descartou uma quarta onda da epidemia a partir do final de julho na França. REUTERS - POOL

O porta-voz do governo francês, Gabriel Attal, confirmou nesta segunda-feira (5) que uma quarta onda da pandemia de Covid é possível na França já a partir do final de julho. Attal reforçou o alerta feito no domingo (4) pelo ministro da Saúde, Olivier Véran, de que todos os índices de contágio voltaram a crescer no país devido à variante Delta.

Publicidade

“Há cerca de uma semana, a epidemia volta a ganhar terreno na França. A variante Delta, que é particularmente contagiosa e preocupante, avança rapidamente”, declarou o porta-voz à rádio France Inter. “As contaminações dobram a cada semana e hoje mais de 30% dos novos casos são ligados à variante Delta. Essa situação poderia indicar uma retomada da epidemia”, completou Attal.

Sobre a possibilidade de uma quarta onda a partir do final de julho, ele disse que a possibilidade existe, mas isso não seria “uma fatalidade”, devido à vacinação que impediria que os hospitais fiquem novamente saturados.

Casos de Delta aumentam e vacinação diminui

Até a semana passada, os casos ligados à variante Delta aumentavam proporcionalmente na França, mas o número total de contaminações recuava. Uma nova onda da epidemia era aventada, mas somente para o final de agosto, início de setembro. A situação começou a mudar rapidamente nos últimos dias. Enquanto as infecções provocadas pela Delta cresciam, a campanha de vacinação diminuía seu ritmo.

Este domingo foi o sétimo dia consecutivo de alta de contaminações após várias semanas de recuo. Ontem, foram registrados no país 2.549 novos casos de Covid, levando a média móvel para 2.312. Uma semana antes, esse índice era de 1.816. A taxa de incidência pulou de 18,6 contaminados por 100 mil habitantes em 27 de junho, para 21,5/100 mil em 1° de julho.

Diante da alta preocupante provocada pela variante Delta, o ministro da Saúde foi o primeiro a dar o alarme. Nesse domingo, Véran tuítou que “o país corre contra o relógio” e reiterou os pedidos para que os franceses se vacinem sem tardar para evitar a nova onda da epidemia. “Na última semana, 4,1 milhões de franceses foram vacinados, sendo 1,2 milhão com uma primeira dose. Isso é um recorde, mas temos que andar ainda mais rápido”, insistiu o ministro da Saúde lembrando que “o exemplo inglês mostra que uma nova onda é possível a partir do final de julho”.

Para acabar com as resistências à vacina, o governo francês estuda a possibilidade de tornar a vacina obrigatória aos profissionais da saúde.

Delta poderia ser resistente a vacinas

A vacinação pode não ser suficiente para estancar a progressão dos contágios. O aumento de casos de Covid-19 em Israel mostra que a variante Delta poderia ser mais resistente às atuais vacinas. No país, a maioria da população recebeu a vacina da Pfizer/BioNTech, indicando que este imunizante pode ser menos eficaz para prevenir as formas leves da doença provocadas pela mutação do coronavírus que surgiu na Índia e está se propagando rapidamente por todo mundo.

Ran Balicer, presidente do painel nacional de especialistas em Covid-19 de Israel, destacou, no entanto, que é "muito cedo para avaliar com precisão a eficácia das vacinas.

A campanha de vacinação israelense, uma das mais rápidas do mundo, reduziu a transmissão para cinco novos casos locais diários. Nos últimos dias, porém, o número aumentou para quase 300 por causa da variante Delta. "Com a variante Delta fora de controle", o país pode ser obrigado a adotar novamente certas restrições que foram suspensas no mês passado, antecipou o primeiro-ministro israelense, Naftali Bennett.

(Com France Info, France Inter e AFP)

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe todas as notícias internacionais baixando o aplicativo da RFI