Torre Eiffel reabre para visitas, após quase nove meses fechada devido à pandemia de Covid-19

A Dama de Ferro passou 260 dias fechada ao público devido à pandemia de Covid-19.
A Dama de Ferro passou 260 dias fechada ao público devido à pandemia de Covid-19. Sameer Al-DOUMY AFP/Archivos

Um dos pontos turísticos mais visitados do mundo, a Torre Eiffel volta a receber visitantes nesta sexta-feira (16). Desde a Segunda Guerra Mundial, esse foi o período mais longo que a "Dama de Ferro" passou fechada ao público. 

Publicidade

A Torre Eiffel reabriu nesta sexta-feira às 13h pelo horário local (8h em Brasília), com um protocolo sanitário reforçado, depois de passar 260 dias fechada. No entanto, apenas a metade da capacidade de frequentadores poderá visitar o monumento diariamente, para garantir o distanciamento físico nos elevadores e nas demais áreas do edifício que tem 132 anos de idade. 

Cerca de 13 mil visitantes são esperados por dia, contra 25 mil em período normal. O uso de máscara será obrigatório em todas as instalações. A partir de 21 de julho, a regra muda para a entrada na torre: os visitantes terão de apresentar o passaporte sanitário, que pode ser um teste PCR negativo, um atestado de vacinação completo ou um atestado que comprove que a pessoa teve a Covid-19 recentemente e está naturalmente imunizada.   

A bilheteria abriu para reservas no início de junho e, desde então, 70 mil ingressos foram vendidos: a metade para franceses e a outra metade para estrangeiros, sendo 35% deles europeus e 15% americanos. Ásiáticos, brasileiros e britânicos continuarão ausentes, devido às restrições da pandemia. Segundo Jean-François Martin, presidente da Sete, empresa que administra a Torre Eiffel, a ausência dos britânicos é flagrante tanto pela propagação da variante Delta no Reino Unido quanto pelo impacto do Brexit.   

Mudança de cor

A Sete aproveitou esse período de fechamento para realizar a 20ª campanha de pintura do monumento. O tom ocre-dourado um pouco mais claro que cobre a estrutura, desta vez, se aproxima da cor original concebida pelo arquiteto Gustave Eiffel. Os elevadores ainda originais da época de sua inauguração passaram por manutenção e foram testados durante o último mês, para garantir a segurança dos visitantes. Apenas o elevador norte permanece fechado até o fim dos trabalhos. 

Os oito meses e meio em que a Torre Eiffel manteve seus portões fechados, privando franceses e estrangeiros da magnífica vista panorâmica de Paris a 57, 115 ou 276 metros de altura – nos três andares acessíveis para visita –, geraram um prejuízo de € 120 milhões. Mas a prefeitura de Paris, principal acionista da Sete, fez questão de assegurar todo o investimento necessário na manutenção deste que é o cartão postal da capital e da França em todo o mundo. 

Na última quarta-feira (14), a Dama de Ferro já havia ensaiado seu retorno às atividades. No dia da festa nacional da França, ela foi palco da tradicional queima de fogos de 14 de julho, neste ano sob o tema "Liberdade". Cerca de 15 mil pessoas puderam assistir ao evento presencialmente no Campo de Marte, mas tiveram que apresentar o passaporte sanitário e usar máscara. 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.