Cidade francesa de Nice entra na lista do Patrimônio Mundial da Unesco

Com seu calçadão diante da orla e ares de cidade tropical, Nice entrou para a história como um destino para férias de invernos para os ricos e os menos ricos.
Com seu calçadão diante da orla e ares de cidade tropical, Nice entrou para a história como um destino para férias de invernos para os ricos e os menos ricos. getty/Nicolas Daumas / EyeEm

Nice, no sul da França, foi classificada nesta terça-feira (27) como “estância balneária de inverno” na lista do Patrimônio mundial da Unesco. Sua rica arquitetura e sua história cosmopolita, assim como sua posição geográfica, entre o mar e a montanha, foram os critérios levados em conta para obtenção do selo, que deve reforçar o potencial turístico da cidade, uma das mais visitadas do país.

Publicidade

“A história de Nice, ao mesmo tempo aberta e ligada às suas raízes, mediterrânea e alpina, europeia e cosmopolita, produziu uma arquitetura e uma paisagem únicas, modelo para muitas outras cidades do mundo”, celebrou o prefeito, Christian Estrosi.

Se o prefeito sublinhou a história em sua declaração é que Nice tem uma tradição de estância de inverno que data de meados de século 19, quando monarcas, aristocratas e donos de grandes fortunas começaram a visitá-la para passar o tempo durante o inverno, aproveitando o clima ameno que reina boa parte do ano, inclusive nos meses em que o resto da França sofre com o frio. Foi Nice quem lançou a moda das férias na Riviera Francesa, que em seguida se estendeu para cidades vizinhas. 

Na época, parques foram criados e calçadões foram construídos, incitando os passeios ao ar livre. Um dos mais famosos é a Promenade dos Ingleses, calçadão que beira a orla e, até hoje, é uma das principais atrações de Nice. 

Outra particularidade da cidade é a sua geografia, próxima da Itália, de frente para o Mediterrâneo, mas não muito longe das montanhas, onde é possível esquiar a menos de uma hora de carro durante o inverno.

Riqueza arquitetônica de Nice contribuiu para a entrada na cidade na lista do Patrimônio Mundial pela Unesco.
Riqueza arquitetônica de Nice contribuiu para a entrada na cidade na lista do Patrimônio Mundial pela Unesco. © trolvag/ Creative Commons

Para completar, desde o final do século 18 árvores consideradas exóticas para a região, como palmeiras e laranjeiras, foram plantadas por toda a parte, dando um ar tropical. Aliás, quem chega a Nice de avião pode ter a impressão de desembarcar no Rio de Janeiro ou em alguma cidade da Flórida.

Cidade cosmopolita

Rapidamente a região se tornou cosmopolita. No final do século 20, Nice já contava com cerca de 150 mil “residentes de inverno”, vindos do Reino Unido, da Rússia, da Alemanha e de outros países europeus ou da América. A herança desse período é sentida até hoje, com uma grande comunidade russa (em férias ou moradores permanentes) e até rádios com notícias em inglês tocando frequentemente nos taxis. Sem esquecer a herança arquitetônica, com belas mansões de estilos diversos, muitas delas transformadas em hotéis ou alugadas para turistas.

O selo de Patrimônio mundial da Unesco deve atrair ainda mais turistas para Nice, que já é a segunda cidade mais visitada da França, após Paris. Mais de 40% de sua população trabalha direta ou indiretamente em atividades ligadas ao turismo.

(Com AFP)

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.