Podcast: Julgamento dos atentados de Paris alivia a dor dos sobreviventes e familiares das vítimas?

Patrícia Correia perdeu a filha, que estava no Bataclan na noite dos atentados de 13 de Novembro de 2015 em Paris.
Patrícia Correia perdeu a filha, que estava no Bataclan na noite dos atentados de 13 de Novembro de 2015 em Paris. © Carina Branco/RFI

Eles saíram feridos, mas vivos. Enfrentaram cirurgias, tratamentos médicos, psicológicos. Enfrentaram também o medo, os fantasmas de um trauma que quem não viveu de perto, sequer consegue imaginar o tamanho do horror.

Publicidade

Eles também são mães, pais, filhos, companheiros de uma vítima do terrorismo. Pessoas que nunca mais serão as mesmas desde aquela noite de 13 de novembro de 2015, quando três equipes de extremistas ligados ao grupo Estado Islâmico tiraram a vida de 130 pessoas, principalmente jovens, em diversos pontos de Paris. Umas assistiam a um show no Bataclan, outras jantavam com os amigos em um restaurante – quando foram atacadas, indiscriminadamente.

Aos familiares e amigos que suportaram a dor de uma morte tão trágica, haverá justiça? E para aqueles que viram o horror de frente, que passaram sobre os cadáveres de outros para conseguir sobreviver, que compensação é possível?

O processo de 20 acusados de participar dos ataques na capital francesa começa nesta quarta-feira (8). No segundo episódio da série da RFI, saiba o quanto esse julgamento vai ajudar as vítimas a superarem o drama.

Atentados de Paris – o julgamento. Episódio #2
Atentados de Paris – o julgamento. Episódio #2

* Com a colaboração de Carina Branco

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe todas as notícias internacionais baixando o aplicativo da RFI