Quase 10% da população francesa precisou de ajuda para se alimentar em 2020

Entre 5 e 7 milhões de pessoas pediram ajuda em bancos de alimentação na França em 2020, segundo o relatório sobre o estado da pobreza no país da associação Secours Catholique-Caritas.
Entre 5 e 7 milhões de pessoas pediram ajuda em bancos de alimentação na França em 2020, segundo o relatório sobre o estado da pobreza no país da associação Secours Catholique-Caritas. AP - Francois Mori

Entre 5 e 7 milhões de pessoas pediram ajuda em bancos de alimentos na França em 2020, o que representa quase 10% da população do país, hoje estimada em 66 milhões de pessoas. A informação é do relatório sobre o estado da pobreza na França, da associação Secours Catholique-Caritas, publicado nesta quinta-feira (18).  

Publicidade

Ainda segundo o documento, entre as pessoas acolhidas nos bancos de alimentos de urgência que foram organizados durante o período do lockdown na França, 22% não contavam com nenhum recurso financeiro, um terço das famílias não tinha acesso à moradia e 27% ficavam sem comer durante um dia inteiro ou mais. O período de confinamento na França, de onde vem parte dos dados do estudo, foi de março a maio de 2020.

A média da renda das pessoas beneficiadas pela Secours Catholique em 2021 é de € 537 (cerca de R$ 3.390), ou seja, menos seis euros em relação ao ano passado, valor que se mantém abaixo da linha de pobreza fixada em 2018 na França, em € 1.063 (R$ 6712,26). Depois da necessidade de escuta psicológica, a ajuda alimentar é o primeiro pedido das famílias apoiadas pela Secours Catholique.

“É uma humilhação o que nosso país inflige a quase 10% de sua população”, disse Véronique Devise, presidente da associação. Para enfrentar a emergência alimentar dos seus beneficiários mais precários, o Secours Catholique distribuiu € 5 milhões, apoiados pelo Estado, sob a forma de cupões com o valor máximo de € 50 euros em 2020.

Comer "só uma vez por dia"

Esta solução permitiu que 67.000 famílias comprassem os alimentos e produtos de higiene de sua escolha. Uma solução "muito apreciada pelos beneficiários, que podem escolher o que colocam no cesto de compras", explicou Amélie Prou, diretora da mercearia solidária "Ma p'tite echoppe" na região parisiense, apoiada pela Secours Catholique.

Para este relatório anual, que compila dados para 2020, a Secours Catholique realizou um estudo com 1.088 famílias que receberam ajuda alimentar de emergência oferecida na forma de vales-serviço. Casais com filhos (37,7%) e mães solteiras (31,7%) são os perfis carentes mais representados.

Não podemos nos colocar no lugar de uma mãe que se priva de comer pelos filhos”, alerta Amélie Prou. “A vida está cada vez mais cara, aqui [na associação] finalmente encontrei o que precisava”, explica Sophia, associada e beneficiária.

Os 61.300 voluntários da Secours Catholique ajudaram cerca de 777.000 pessoas em 2020, contra 1,39 milhões em 2019. O número de beneficiários diminuiu devido às limitações organizacionais enfrentadas pela associação durante os dois confinamentos de 2020.

Com informações da AFP

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe todas as notícias internacionais baixando o aplicativo da RFI