França confirma primeiro caso da variante ômicron em subúrbio de Paris

Um primeiro caso da variante ômicron foi notificado na grande região parisiense.
Um primeiro caso da variante ômicron foi notificado na grande região parisiense. AP - Rafael Yaghobzadeh

A França confirmou nesta quinta-feira (2) os dois primeiros casos da variante ômicron em seu território situado na Europa, um deles na região parisiense. Um dos infectados é um homem não vacinado que retornou recentemente de uma viagem à Nigéria. A outra pessoa diagnosticada com a nova cepa do coronavírus é uma mulher que tinha esquema vacinal completo e voltou, há alguns dias, da África do Sul. 

Publicidade

O infectado com a ômicron na região parisiense reside no subúrbio de Seine-et-Marne, a 47 km da capital. Segundo a Agência Regional de Saúde de Île-de-France, ele tem entre 50 e 60 anos e testou positivo em um exame de controle ao desembarcar do avião, em 25 de novembro. Não vacinado contra a Covid-19, ele não apresentava sintomas da doença no momento do teste.

A esposa, que o acompanhou na viagem, também testou positivo para Covid-19. Mas as autoridades aguardam os resultados do sequeciamento da amostra para saber se ela também foi contaminada pela ômicron. Assim como o marido, a mulher não era imunizada contra a Covid-19. Todas as pessoas próximas ao casal foram isoladas. 

O segundo caso foi detectado em uma mulher moradora do departamento de Haut-Rhin, na região leste do país. Ela tem entre 50 e 60 anos de idade e provavelmente contraiu a nova variante na África do Sul, onde esteve recentemente. 

A Agência Regional de Saúde do Grande Leste informou, em seu comunicado, que ela tinha esquema vacinal completo, ou seja, havia tomado duas doses da vacina contra o coronavírus. Esta viajante teve contato com poucas pessoas depois do exame; por isso não é considerada um caso preocupante pelas autoridades.

A nova linhagem do coronavírus, muito mais contagiosa que a delta, ainda predominante na Europa, foi sequenciada por cientistas do Krisp, um instituto de pesquisa sul-africano de Durban. 

Controle em viajantes

O primeiro caso da variante ômicron na França foi notificado na terça-feira (30), mas na ilha da Reunião, localizada no oceano Índico. Ontem, o porta-voz do governo, Gabriel Attal, avisou que havia 13 casos suspeitos no território e que certamente outros surgiriam.

Diante da ameaça da variante ômicron, a França anunciou na quarta-feira regras mais duras de acesso a seu território, que incluem um teste negativo para todos os viajantes, inclusive os vacinados, procedentes de um país que não seja da União Europeia. Para os não imunizados, o teste deve ser feito na véspera do voo, ou seja, ter no máximo 24 horas de validade. Para os vacinados, o exame poderá ter sido feito até 48 horas antes do embarque. 

Com informações da AFP

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.