França/Imigração

Milhares denunciam política "repressiva e xenófoba" de Sarkozy

Manifestantes durante passeata em Paris.
Manifestantes durante passeata em Paris. REUTERS/Benoit Tessier

A recente expulsão de ciganos da França foi o marco para a política de segurança da atual presidência ser considerada xenófoba pelos partidos de esquerda, sindicatos, ONGs de defesa dos direitos humanos e por membros do próprio governo.  

Publicidade

Neste sábado, milhares de pessoas saíram às ruas em uma centena de cidades francesas e em outras capitais da Europa para protestar "contra a política xenófoba e repressiva do governo de Nicolas Sarkozy", como acusam mais de 50 ONGs, políticos da oposição, artistas e intelectuais, que defenderam com cartazes, aos gritos, os princípios fundamentais da República francesa: Liberdade, Igualdade e Fraternidade.

O presidente Nicolas Sarkozy tem sido criticado dentro e fora do país por causa da expulsão de ciganos búlgaros e romenos, apesar de insistir que eles participaram de um plano voluntário de partida, mediante uma ajuda financeira. No mês passado, mil ciganos foram enviados da França de volta a seus países de origem e a meta do governo, até o final deste ano, é repatriar nove mil.

Em todo o país, os protestos convocados por sindicatos, associações e partidos de esquerda reuniram 77 mil pessoas, segundo a polícia, 100 mil de acordo com os organizadores. A maior passeata foi em Paris e movimentou de 12 mil a 50 mil pessoas. Os manifestantes carregavam cartazes com frases como "Chega de repressão", "Não à política desumana de Sarkozy" ou "Não à xenofobia do governo francês".

O presidente da Liga dos Direitos Humanos, Jean-Pierre Dubois, lembrou que Sarkozy está retomando, progressivamente, o programa do líder da extrema-direita, Jean Marie Le Pen, nas eleições presidenciais de 2002, quando ele chegou ao segundo turno. "Sarkozy faz esta ligação constante entre imigração e delinquência, chegando a designar comunidades e grupos étnicos", analisa Dubois.

A ameaça da perda da nacionalidade francesa de estrangeiros delinquentes, mas também o desmantelamento de acampamentos e o repatriamento de ciganos romenos e búlgaros, no mês passado, mobilizam a oposição, cidadãos e até mesmo partidários.Os próprios membros do governo e deputados do partido do presidente criticam as recentes medidas contra os estrangeiros.

Reações internacionais

Os protestos atravessaram as fronteiras e também houve manifestações diante da Embaixada da França em Bruxelas, Madri, Barcelona, Roma e outras cidades europeias. 

O comitê da ONU para a eliminação da discriminação racial, assim como o Conselho Europeu, reprovam igualmente a atual política francesa que discrimina e estigmatiza imigrantes.

O papa Bento 16, chocado com as expulsões dos ciganos, fez um apelo para que a França saiba receber e conviver com a diversidade humana.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.