França/Reforma Previdência

Deputados franceses votam a favor de aposentadoria aos 62 anos

O ministro francês do Trabalho, Eric Woerth, defende na Assembleia o projeto de reforma da aposentadoria
O ministro francês do Trabalho, Eric Woerth, defende na Assembleia o projeto de reforma da aposentadoria REUTERS

Apesar de vários protestos de sindicatos e da oposição, projeto do governo que aumenta em dois anos a idade mínima legal para se aposentar na França tem voto favorável na Assembleia. Em outubro, texto será analisado pelo Senado.

Publicidade

Após quatro dias de debates, a Assembléia Nacional da França votou favoravelmente, nesta sexta-feira, pela mudança da idade mínima legal da aposentadoria de 60 para 62 anos. A proposta é o principal ponto da reforma da previdência defendida pelo governo do presidente Nicolas Sarkozy como impopular mas necessária.

Ela prevê o aumento gradativo da idade para se aposentar até 2018. Serão quatro meses a mais a cada ano para os trabalhadores nascidos após 1950.

Outro texto aprovado pelos deputados prevê que a aposentadoria integral só poderá ser concedida a partir dos 67 anos, em vez dos 65 atuais.

A aprovação das duas propostas foi garantida pelos votos da União por um Movimento Popular (UMP, o partido do presidente Nicolas Sarkozy) e do Novo Centro.

Os projetos ainda devem passar pelo Senado, no próximo dia 1 de outubro. O objetivo do governo é colocá-los em vigor no fim de outubro ou início de novembro.

Seis de cada dez franceses são contra a reforma da aposentadoria

Neste domingo, foi publicada uma pesquisa pelo jornal Dimanche Ouest France que mostra que 57% dos franceses são contra a mudança de idade e 68% acham que o projeto de reforma é injusto, apesar de terem sido feitas algumas modificações nesta semana.

Os partidos de esquerda e os sindicatos são radicalmente contra a reforma e, na última terça-feira, realizaram uma greve geral no país com manifestações que reuniram cerca de 2,7 milhões de pessoas, segundo os sindicatos.

Na quinta-feira, a socialista Ségolène Royal havia dito que, se o Partido Socialista vencer as próximas eleições para presidente em 2012, vai reestabelecer a idade mínima de aposentadoria em 60 anos. O anúncio nao agradou ao UMP, partido de Sarkozy. Nesta sexta-feira, o ministro francês do Trabalho, Eric Woerth, criticou a declaração de Ségolène chamando-a de mentirosa e fora da realidade

O primeiro-ministro Francois Fillon disse, na quinta-feira, que o governo poderia oferecer algumas concessões sem arruinar seu plano de equilibrar o sistema de pensões. Segundo o governo, se nada for feito agora, o rombo será de 45 milhões de euros em 2020.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.