Caso Woerth/Bettencourt

'Le Monde' acusa governo francês de violar sigilo da fonte jornalística

Reportagem do "Le Monde" sobre acusação de quebra de sigilo jornalístico.
Reportagem do "Le Monde" sobre acusação de quebra de sigilo jornalístico. Reprodução

Jornal francês acusa o Executivo francês de tentar identificar uma fonte através do serviço de contra-espionagem. Informações publicadas pelo Le Monde comprometem o ministro do Trabalho, Eric Woerth, e a milionária Liliane Bettencourt.

Publicidade

O presidente francês Nicolas Sarkozy está longe de se ver livre de denúncias da imprensa. O jornal Le Monde acusa o Executivo francês de usar o serviço de contra-espionagem para identificar uma fonte que passou ao jornal informações comprometedoras sobre o ministro do Trabalho, Eric Woerth, e a milionária Liliane Bettencourt, herdeira da L'Oréal.

Em sua edição com data de terça-feira, 14 de setembro, Le Monde informa que decidiu prestar queixa na Justiça por violação do sigilo jornalístico, como garante a lei.

Segundo o jornal, agentes do serviço de contra-espionagem teriam realizado escutas telefônicas para identificar a pessoa que passou ao jornal detalhes de um depoimento constrangedor para o ministro Woerth, que deveria ter ficado restrito ao inquérito policial.

As escutas telefônicas revelaram que a fonte do Le Monde era um assessor do Ministério da Justiça, David Sénat, imediatamente afastado do cargo.

O jornal acusa a presidência, portanto a equipe próxima do presidente Nicolas Sarkozy, de ter tentado abafar revelações no escândalo de fraude fiscal e tráfico de influência que envolvem o ministro do Trabalho e a herdeira do grupo L'Oréal.

Uma nota da presidência desmente qualquer implicação na quebra do sigilo jornalístico.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.