França

Assembleia francesa aprova polêmica reforma da previdência

Milhares de pessoas já manifestaram na França contra reforma da previdência do governo.
Milhares de pessoas já manifestaram na França contra reforma da previdência do governo. REUTERS/Jean-Paul Pelissier

A Assembleia Nacional francesa aprovou, nesta quarta-feira, a polêmica reforma da previdência do presidente Nicolas Sarkozy, que prevê passar de 60 para 62 anos a idade mínina para aposentadoria na França. O texto deve ainda ser apreciado pelo Senado, antes de ser promulgado pelo presidente francês.

Publicidade

O texto foi aprovado por 329 a favor e 233 contra, em uma sessão tumultuada.Para tentar retardar ao máximo a votação, 165 deputados da oposição solicitaram o direito de explicar individualmente seus votos, durante cinco minutos cada um. Baseando-se num dispositivo do regimento interno, o presidente da Assembleia, Bernard Accoyer, negou o pedido e suspendeu a sessão nesta manhã.

A decisão provocou a indignação dos deputados socialistas, que começaram a gritar repetidas vezes "demissão". A sessão foi reaberta às 15 horas no horário francês, 10 horas no horário de Brasília.

As discussões para analisar os 33 artigos do texto da reforma começaram ontem à noite e vararam a madrugada. Um dos pontos mais importantes é a mudança da idade mínima para se aposentar na França, de 60 para 62 anos.

A proposta deve ser, ainda, apreciada pelo Senado. O governo quer colocá-la em vigor ainda este ano, no fim de outubro ou início de novembro. Em protesto, os principais sindicatos franceses convocaram uma nova greve geral para o próximo dia 23.

Na última greve, realizada no dia 7 de setembro, entre 3 milhões, segundo os sindicatos, e mais de 1 milhão de pessoas, segundo o governo, participaram de manifestações em todo o país contra a reforma da previdência.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.