França/Níger

Reféns franceses estão vivos, confirmam autoridades

O deserto de Tamanrasset, ao sul da Argélia, na região da fronteira com o Níger e o Mali.
O deserto de Tamanrasset, ao sul da Argélia, na região da fronteira com o Níger e o Mali. Photo : Str /AFP

Os sete reféns, entre eles cinco franceses, sequestrados no norte do Níger no dia 16 de setembro, estão vivos. A informação foi confirmada por autoridades da França e do Mali.  

Publicidade

Os cinco franceses, um togolês e um homem de Madagascar, raptados no norte do Níger há onze dias pela rede terrorista Al-Qaeda no Magreb Islâmico, estão vivos. A notícia foi dada nesta segunda-feira por fontes governamentais da França e do Mali, que também indicaram que o grupo está detido em Timétrine, região desértica e montanhosa do nordeste do Mali, na fronteira com a Argélia.

Oitenta soldados franceses estão posicionados em Niamey, capital nigerina, realizando voos de reconhecimento no local a fim de localizar os reféns e os terroristas. Neste domingo, o governo francês afirmou novamente que está pronto para negociar com os sequestradores que, até o momento, não fizeram nenhuma reivindicação.

Para a França, há duas etapas a serem cumpridas a partir de agora: a primeira, é a prova de que os sete prisioneiros estão vivos, através de fotografias ou vídeos. Em segundo, as reivindicações da Al-Qaeda. Somente depois disso é que devem começar as negociações, que prometem ser longas, com muitas idas e vindas de mediadores e autoridades dos países dos reféns.

Os reféns trabalham em Arlit, no norte do Níger, para os grupos franceses Areva e Vinci.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.