França/Aposentadoria

Sindicatos em greve nesta terça pedem maior participação de jovens

Manifestação contra a reforma da aposentadoria nas ruas de Nantes, em 23 de setembro de 2010.
Manifestação contra a reforma da aposentadoria nas ruas de Nantes, em 23 de setembro de 2010. REUTERS

Para a quarta greve geral na França organizada nos últimos 40 dias contra a reforma da aposentadoria, os sindicatos dos trabalhadores e a oposição fazem um maior apelo à participação dos jovens, o que foi considerado uma "irresponsabilidade" pelo ministro francês do Trabalho, Eric Woerth.  

Publicidade

A presença de estudantes nas últimas manifestações foi considerada pequena e, desta vez, os líderes sindicais contam com eles para aumentar a pressão sobre o governo para mudanças no projeto.

Nesta segunda-feira, o ministro francês do Trabalho, Eric Woerth, considerou uma irresponsabilidade o apelo à mobilização dos jovens. A ministra do Ensino Superior, Valérie Pécresse, disse que o chamado é uma contradição, já que, segundo ela, a reforma vai beneficiar principalmente a juventude, garantindo as aposentadorias nas próximas décadas e o equilíbrio entre gerações.

O argumento, porém, não convence os sindicatos, que devem decidir nesta semana se continuam ou não as greves por tempo indeterminado.

O governo continua inflexível em relação aos termos de base da reforma, como a passagem da idade mínima para se aposentar de 60 para 62 anos, que foi aprovada pelo Senado na última sexta-feira. No entanto, alguns itens foram modificados e o governo concedeu vantagens às mães de famílias numerosas e aos trabalhadores com empregos precários.

O Senado continua analisando o projeto até o fim desta semana e a reforma deverá ser definitivamente adotada antes do final deste mês.

Nesta terça-feira, o transporte público e o tráfego aereo na França serão novamente prejudicados. A Direção Geral de Aviação Civil da França prevê cancelamentos de voos nos aeroportos da região parisiense. Em Orly, apenas a metade das decolagens está garantida, e no aeroporto de Charles De Gaulle, 30% dos voos serão cancelados. Os trens e o metrô devem funcionar parcialmente.

Um novo dia de mobilização já foi convocado para o próximo sábado.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.