Ano Novo/França

Paris celebra virada do ano sem incidentes graves

Cerca de 350 mil pessoas se reuniram na famosa avenida Champs-Elysées, em Paris.
Cerca de 350 mil pessoas se reuniram na famosa avenida Champs-Elysées, em Paris. Reuters

Cerca de 350 mil pessoas festejaram a virada na avenida Champs-Elysées, em Paris. Mesmo se mais de 500 pessoas foram presas em todo o país, as autoridades francesas consideram o balanço das comemorações do réveillon positivo. Esse ano a polícia decidiu não divulgar o número de carros incendiados, uma tradição que marca a primeira madruga do ano na França.

Publicidade

Mais de 53 mil policiais foram mobilizados para o réveillon 2011 na França. De acordo com o ministro francês do Interior, Brice Hortefeux, nenhum incidente importante foi registrado na virada. Esse ano a polícia não divulgou o número de carros incendiados nas ruas das cidades durante a madrugada. Segundo o ministro do Interior, a medida foi tomada para evitar a competição entre gangs, que usavam as estatísticas da polícia para saber qual cidade batia recordes de veículos queimados.

A tradição de incendiar carros na noite do réveillon começou nos anos 1990, em Estrasburgo. Desde então, esse tipo de ato de vandalismo tomou as grandes cidades da França e se tornou um símbolo de falta de segurança nas periferias pobres do pais.

Cerca de 350 mil pessoas se reuniram na avenida Champs-Elysées, em Paris – quase 100 mil a mais que ano ano passado. Outro recorde batido na noite da virada foi o de torpedos, as mensagens enviadas via celular. Segundo as companhias telefônicas do pais, mais de 400 milhões de SMS foram mandados na noite de réveillon na França.

 Réveillon na Europa

Em Roma, na Itália, cerca de 200 mil pessoas assistiram o concerto de Ano Novo do cantor Claudio Baglioni entre o Fórum Romano e o Coliseu. Em Veneza a virada foi celebrada com um beijo coletivo reunindo 60 mil pessoas na praça São Marco.

O réveillon italiano também foi marcado por incidentes com fogos de artifício. Pelo menos 500 pessoas ficaram feridas vítimas de explosões de rojões no país. Um homem de 39 anos morreu após ter sido atingido por uma bala perdida em Nápoles. A polícia teve que intervir 140 vezes na cidade, onde os fogos de artifício incendiaram as montanhas de lixo que invadem as ruas atualmente. Há vários dias os lixeiros napolitanos não podem recolher o lixo por causa de um protesto contra a criação de depósitos à céu aberto.

Na Espanha, os fumantes madrilenhos aproveitaram para saborear a última noite para fumar nos bares, cafés e restaurantes. A partir deste domingo, o consumo de tabaco será proibido nestes locais.

Na Estônia a virada também foi marcada pela entrada do pequena república báltica na zona euro. A partir deste fim de semana os estonianos deixam de lado a coroa para adotar a moeda única europeia. Já a Hungria assume, a partir deste sábado, a presidência temporária da União Europeia.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.