Fraça/ Terrorismo

Autor de atentado contra embaixada da França no Mali afirma pertencer à Al Qaeda

A embaixada da França em Bamako no Mali foi alvo de um atentado nesta quarta-feira, 5 de janeiro.
A embaixada da França em Bamako no Mali foi alvo de um atentado nesta quarta-feira, 5 de janeiro. Fréderic Delangle

O atentado contra a embaixada da França em Bamako, capital do Mali, aconteceu na noite de quarta-feira. A explosão deixou dois feridos sem gravidade. As vítimas de nacionalidade malinesa estão hospitalizadas.

Publicidade

O autor do atentado, um homem de nacionalidade tunisiana foi preso depois de provocar a explosão com uma bomba a gás. Ele também estava armado com uma granada e uma pistola automática e chegou a dar diversos tiros contra a fachada da embaixada francesa.

O tunisiano foi detido pela polícia e reivindicou a ação em nome da Al Qaeda. Ele confessou ter sido treinado em um campo de combatentes islâmicos do braço da rede terrorista no deserto do Saara.

Uma investigação foi aberta para determinar se a explosão tem relação com o caso dos reféns franceses detidos no nordeste do país pela Al Qaeda do Magrebe Islâmico. Atualmente, cinco franceses, um togolês e um cidadão de Madagascar estão detidos pelo grupo terrorista. Eles foram sequestrados em setembro do ano passado em Arlit, região mineradora explorada pelo gigante do setor nuclear francês Areva, no norte do Niger.

O esquema de segurança foi reforçado em torno da embaixada da França no Mali e por medida de precaução, o liceu francês de Bamako não abriu suas portas nesta quinta-feira.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.