AF447/Acidente

Identificação dos corpos deve dominar reunião entre familiares e autoridades em Paris

Na porta da Igreja Nossa Senhora da Paz, no Rio de Janeiro, José Macario e Maria Esther exibem cartaz com a foto do filho, Carlos Eduardo de Mello, e da mulher, Bianca Cota, mortos na queda do avião.
Na porta da Igreja Nossa Senhora da Paz, no Rio de Janeiro, José Macario e Maria Esther exibem cartaz com a foto do filho, Carlos Eduardo de Mello, e da mulher, Bianca Cota, mortos na queda do avião. REUTERS/Ana Carolina Fernandes

Familiares de vítimas do acidente com o voo da Air France Rio Paris se reúnem nesta quarta-feira com autoridades na capital francesa para fazer um balanço das investigações após o encerramento da quinta e última fase de buscas. A identificação dos corpos recentemente resgatados também será discutida.

Publicidade

Representantes de 4 associações de familiares das vítimas do AF447 participam do encontro esta tarde com o secretário francês dos transportes, Thierry Mariani. Os participantes integram o comitê de informação aos familiares e representam as 4 principais nacionalidades das 228 vítimas: brasileira, alemã, francesa e italiana.

Nelson Marinho, presidente da Associação brasileira veio especialmente do Brasil para participar do encontro. Oficialmente, a reunião visa fazer um balanço da quinta fase de buscas do Airbus A330, encerrada no último dia 3 de junho na costa brasileira, que permitiu recuperar as caixas-pretas do avião e resgatar novos corpos.

Mas a identificação das vítimas deve dominar o encontro. Algumas associações vão aproveitar a oportunidade para exigir detalhes sobre esse processo que divide as famílias. Principalmente na França, algumas pessoas preferem que seus familiares mortos no acidente não sejam identificados e querem que esse desejo seja respeitado. No Brasil, exceto uma única família, a identificação não é polêmica.

Processo de identificação

Os 104 corpos resgatados na quinta fase de buscas chegam ao porto francês de Bayonne, no sudoeste da França, nesta quinta-feira a bordo do navio Ile de Sein. Em seguida, eles serão transferidos para o Instituto Médico Legal de Paris para as autópsias e comparações de DNA. O processo de identificação, sob a responsabilidade de 2 juízes franceses que indiciaram a Air France e a Airbus por homicídio culposo no acidente, pode demorar meses. 50 corpos das vítimas do acidente foram recuperados logo após a catástrofe em 31 de maio de 2009. Ao todo, 154 vítimas do AF447 foram resgatadas.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.