Acessar o conteúdo principal
França/ Imigração

França adota novas regras para estudantes estrangeiros

Estudantes estrangeiros, membros do Coletivo 31 de Maio, se mobilizam contra a circular do antigo ministro do Interior francês, Claude Guéant.
Estudantes estrangeiros, membros do Coletivo 31 de Maio, se mobilizam contra a circular do antigo ministro do Interior francês, Claude Guéant. Collectif 31 mai
Texto por: RFI
3 min

Uma nova circular sobre o “acesso ao mercado de trabalho dos diplomados estrangeiros” na França foi publicada hoje por Paris e confirma a abolição do antigo texto, que restringia a permanência dos estudantes estrangeiros no país e impedia que tivessem uma experiência profissional após a conclusão do curso.

Publicidade

A circular, redigida em conjunto entre os ministérios do Trabalho, do Interior e do Ensino Superior e da Pesquisa, acaba com a “Circular de 31 de maio de 2011”, também chamada de “Circular Guéant”, em referência ao ex-ministro do Interior da França, Claude Guéant, conhecido pelo cerco à imigração. Conforme o texto anterior, os alunos estrangeiros estavam tendo dificuldades em trocar os vistos de estudante por um de trabalho: a permanência na França vinha sendo negada após a conclusão dos estudos, inclusive os altamente qualificados e que estavam empregados ou tinham uma proposta de trabalho.

A nova regra, “conforme as promessas do presidente da República”, alivia as condições de permanência na França dos alunos de nível superior e vai tratar em prioridade os casos pendentes desde o dia 1º de junho de 2011. “Os interessados receberão uma autorização provisória de permanência de seis meses, não-renováveis, com autorização de trabalho”, afirma o texto enviado aos secretários de Segurança, responsáveis pela liberação dos vistos no país. Agora, a orientação é por uma decisão favorável aos estudantes, ao contrário do que pedia a antiga circular Guéant, que exigia mais rigidez nas autorizações de permanência.

Devido às regras que estavam em vigor até a semana passada, centenas de universitários estrangeiros acabaram em situação ilegal na França e sob a ameaça de expulsão do território, o que revoltou as entidades estudantis, universitárias e de direitos humanos. Durante a campanha presidencial, o socialista François Hollande, hoje eleito, havia prometido abolir o texto.

A França recebeu 285 mil estudantes estrangeiros entre 2010 e 2011. No grau de doutorado, os alunos de outros países representam 41% do total de doutorandos do país, conforme um estudo da agência estudantil oficial do governo francês, Campus France.

A maioria dos alunos vem do Marrocos, da China, da Argélia e da Tunísia. A França é o quarto país do mundo que mais recebe estudantes estrangeiros, a maioria deles nas áreas de letras, línguas e ciências humanas.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.