França/Economia

Hollande deve defender sua política econômica em coletiva nesta 5ª

Presidente mais impopular dos últimos 55 anos, François Hollande vai conceder nesta quinta-feira, 16 de maio de 2013, uma entrevista coletiva para defender suas medidas econômicas.
Presidente mais impopular dos últimos 55 anos, François Hollande vai conceder nesta quinta-feira, 16 de maio de 2013, uma entrevista coletiva para defender suas medidas econômicas. REUTERS/Gonzalo Fuentes

Depois de presidir a conferência sobre o Mali em Bruxelas, o presidente François Hollande concede nesta quinta-feira, 16 de mlaio de 2013, uma aguardada entrevista coletiva para 400 jornalistas franceses e estrangeiros no Palácio do Eliseu. O líder socialista vai defender sua política econômica, que tem sido muito criticada após uma série de indicadores negativos.

Publicidade

A indústria manufatureira da França revisou para baixo as previsões de investimento para 2013. O recuo será de 4% e não ficará estável como previsto anteriormente. Essa revisão envolve todos os setores, com exceção do automobilístico. As despesas com equipamentos também vão diminuir nos setores agrícola e de alimentos.

Os investimentos da indústria representam cerca de 25% do total no setor produtivo. Outro dado negativo divulgado nesta quinta-feira: 31.700 postos de trabalho fixos no setor de bens e serviços foram eliminados nos três primeiros meses do ano.

Esses dados e previsões são divulgados um dia após a França ter entrado oficialmente em recessão depois de seis meses de queda do produto interno bruto.

O país vem acumulando uma sequência de indicadores negativos: o desemprego está em alta e atinge mais de 10% da população, o poder aquisitivo das famílias caiu 0,9%, em um recorde histórico, e as medidas para melhorar a competitividade das empresas e gerar empregos ainda não deram os resultados esperados.

Apesar das pressões para acelerar reformas essenciais, como a da aposentadoria e a da requalificação profissional, o presidente François Hollande defende o ritmo de suas políticas, entre elas os duros cortes no orçamento para reduzir o déficit público.

Com o pior índice de popularidade de um presidente nos últimos 55 anos, Hollande deverá fazer novos anúncios nesta quinta-feira durante sua entrevista coletiva em Paris, a segunda de seu mandato, para 400 jornalistas franceses e estrangeiros. Sua missão é difícil: mostrar que a França está no caminho certo e que há luz no final do túnel.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.