Acessar o conteúdo principal
França/Justiça

Escola coleta DNA de 527 pessoas para tentar identificar autor de estupro

Captura de vídeo da entrada do liceu Fénélon-Notre Dame de la Rochelle onde é feita a coleta de DNA.
Captura de vídeo da entrada do liceu Fénélon-Notre Dame de la Rochelle onde é feita a coleta de DNA.
3 min

Começou nesta segunda-feira (14) uma operação ampla e inédita para recolher amostras de DNA de 527 pessoas do sexo masculino em uma escola no interior da França. A coleta, realizada por decisão judicial, deve ajudar na identificação do estuprador de uma garota de 16 anos, dentro de um dos banheiros da escola.

Publicidade

A operação, rara no meio escolar francês, deve durar até quarta-feira. Ela teve início às 8h00 da manhã em duas salas da escola católica Fénélon-Notre Dame de la Rochelle, na região oeste da França, que tem 1.300 alunos.
Os primeiros estudantes, que receberam no final de semana a convocação para recolher as amostras, compareceram normalmente ao local da coleta.

Como determina a lei, no caso dos menores de idade, foi necessário apresentar duas autorizações, uma do próprio aluno e outra dos pais. Em caso de recusa, a lei não prevê a coleta forçada, "mas os que se recusarem passarão a ser suspeitos potenciais", explicou a procuradora de La Rochelle, Isabele Pagenelle.

A maioria dos alunos que se submeteram à coleta não demonstrou preocupação, apesar da presença ostensiva de jornalistas e de câmeras de televisão. Os testes são feitos por policiais à paisana, o que tranquilizou muitos alunos."O que é estranho é que aconteceu um estupro e não sabemos quem é o culpado. Mas não podemos cair na histeria", avaliou um jovem de 17 anos.

Estupro no banheiro

A agressão aconteceu no dia 30 de setembro de 2013. Uma estudante de 16 anos foi estuprada em um dos banheiros da escola quando as luzes estavam apagadas, o que dificultou o repasse de informações mais detalhadas sobre o autor.

A coleta do DNA envolve todos os homens presentes na escola no momento em que aconteceu o estupro. Além de 475 alunos, serão recolhidas amostras de 31 professores e 21 outras pessoas, entre funcionários do estabelecimento escolar e visitantes.

A coleta é feita através de um material colocado embaixo da língua e depois lacrado em um envelope especial com o nome e assinatura do indivíduo. Os resultados deverão ser conhecidos dentro de um mês. Os resultados negativos serão destruídos.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.