Acessar o conteúdo principal
França/pobreza

Relatório de associação confirma aumento da pobreza na França

Voluntário do Secours Catholique presta ajuda a um sem teto em Soisson, no norte da França.
Voluntário do Secours Catholique presta ajuda a um sem teto em Soisson, no norte da França. © Sébastien Le Clézio/Secours Catholique
Texto por: RFI
3 min

A associação francesa Secours Populaire, uma das mais conhecidas no país, divulgou um relatório nesta quinta-feira (11) mostrando o aumento da pobreza na França entre a população mais carente. O documento mostra que milhares de pessoas vivem com cerca de € 5,6 euros (cerca de R$ 14) por dia depois de pagar o aluguel e outras despesas fixas.

Publicidade

Os dados foram obtidos a partir de entrevistas feitas com 619.700 famílias que receberam ajuda da associação em 2013. Apenas 47% delas deram informações sobre seus salários e as ajudas recebidas do governo, como a bolsa- moradia.

Deste total, 30% ganham menos de 750 € (cerca de R$ 2.220) por mês, 43% recebem entre 750 e 1250 € (cerca de R$ 3720) e 20% entre 1250 e 1750 € (cerca de R$ 5183) . Os valores podem parecer elevados, mas o custo de vista em Paris é um dos mais caros do mundo. O aluguel de um apartamento de 40 m2 na capital, em um bairro popular, custa em média 1000 €.

Cerca de 19% dessas famílias têm entre 0,5 e 3 € por dia para gastar em despesas com alimentação, roupas, e outros produtos de primeira necessidade do cotidiano. Para 6,5%, as despesas como aluguel e conta de luz e gás, por exemplo, consomem a totalidade dos salários.“Infelizmente, a pobreza e a exclusão continuam a crescer, mas podemos lutar e resistir”, insistiu o presidente da associação Julien Lauprêtre, durante uma coletiva de imprensa nesta quinta-feira. Segundo ele, um número cada vez maior de pessoas está apenas “sobrevivendo.”

É o caso de Gwenaël, 40 anos, que acabou na rua depois de anos desempregado. Ele vive com 718 € por mês graças à ajuda do governo, e não vê perspectivas para o futuro.  “Tenho sorte de não ter problemas de saúde”, diz.

Precariedade atinge toda a população

Uma outra pesquisa realizada pelo Instituto Ipsos sobre a percepção da pobreza pelos franceses também revelou que 55% da população “esteve próxima de uma situação de precariedade” e 35% passaram a se considerar pobres em 2014. A pesquisa foi realizada de 4 a 5 de julho com cerca de 1006 franceses de mais de 15 anos.

Os resultados mostraram que 19% renunciaram à compra de próteses dentárias, 14% desistiram de usar óculos ou lentes de contato, 13% optaram por não comprar remédios e 10% deixaram de ir ao médico. Mesmo que as consultas sejam parcialmente subvencionadas pelo Estado, o paciente deve antecipar o pagamento e demora alguns dias para ser reeembolsado. Esta situação é cada vez mais comum na França.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.