França/corrupção

Organizadores de comícios de Sarkozy são indiciados por fraude

O ex-presidente francês Nicolas Sarkozy em um comício em 2012
O ex-presidente francês Nicolas Sarkozy em um comício em 2012 Reuters/路透社

Três dirigentes da empresa Bygmalion, encarregada de organizar os comícios da campanha do ex-presidente francês Nicolas Sarkozy, em 2012, foram indiciados nesta quarta-feira (1°) e confirmaram a existência de um sistema de notas fiscais falsas. O escândalo vem à tona cerca de uma semana depois do ex-chefe de Estado francês anunciar seu retorno à política.

Publicidade

Guy Alvès, Bastien Millot e Franck Attal, ex-dirigentes da Bygmalion, foram indiciados por cumplicidade em fraude, depois de 48 horas de detenção para interrogatório. Eles podem ser condenados a três anos de prisão e ao pagamento de uma multa de € 45 mil. De acordo com o advogado da empresa, Patrick Maisonneuve, seus clientes confirmaram que o partido do presidente, o UMP, emitia notas falsas para sua campanha.

Já Bastien Millot declarou desconhecer o sistema e disse que não tinha nenhuma responsabilidade na campanha. Os recibos falsos ajudaram o partido a dissimular o teto dos gastos dos candidatos às eleições presidenciais, estabelecido por lei em € 22,5 milhões e ultrapassado em € 18,5 milhões pelo UMP, segundo fontes da Justiça.

O advogado também lamentou que “alguns dos responsáveis da campanha de 2012 tenham agido como vítimas." Um dos objetivos da polícia é descobrir se os líderes do partido, como o ex-porta-voz, Jean-François Copé, e até mesmo Sarkozy ignoravam de fato o funcionamento do esquema, como defende o diretor-adjunto da campanha, Jérôme Lavrilleux.

Independentemente do caso, o Conselho Constitucional invalidou as contas da campanha do ex-presidente, exigindo um reembolso de € 23 milhões pagos com doações de militantes. Em julho de 2014, Nicolas Sarkozy também foi indiciado por corrupção ativa, tráfico de influência e quebra de sigilo profissional da Justiça. Ele é suspeito de ter tentado, enquanto era presidente, obter informações dos autos de um processos que o citava – e o comprometia.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe todas as notícias internacionais baixando o aplicativo da RFI