Acessar o conteúdo principal
França/atentado

Polícia fecha o cerco contra suspeitos do atentado contra o jornal Charlie Hebdo

Agentes da polícia francesa fecham o cerco contra os autores do atentado ao Charlie Hebdo
Agentes da polícia francesa fecham o cerco contra os autores do atentado ao Charlie Hebdo REUTERS/Pascal Rossignol
Texto por: RFI
2 min

A polícia francesa aperta o cerco contra os dois suspeitos nesta sexta-feira (9) do massacre no jornal Charlie Hebdo que deixou 12 mortos nesta quarta-feira em Paris. Segundo a rádio francesa RTL, pelo menos uma pessoa teria morrido e vinte teriam ficado feridas na operação, mas a Justiça francesa desmentiu a informação. Cinco helicópteros estão sobrevoando a zona industrial perto da cidade de Dammartin-en-Goële, na região de Seine et Marne.

Publicidade

A operação foi confirmada agora de manhã pelo ministro francês do Interior Bernard Cazeneuve. Ela acontece nas proximidades da cidade de Dammartin-en-Goële, na região de Seine et Marne, a cerca de meia hora do local onde os irmãos Kouachi estavam sendo procurados desde ontem, depois da fuga nesta quarta-feira.

Os suspeitos estariam entrincheirados e há pelo menos um refém. Cinco helicópteros estão sobrevoando a zona industrial perto da cidade, cujo acesso foi fechado pela polícia. Dezenas de policiais estão presentes no local. Uma barreira também foi colocada na entrada da estrada A2, que dá acesso ao complexo industrial.

As buscas se concentram em uma extensa região no norte da França, onde Chérif Kouachi, de 34 anos e seu irmão Said, de 32, teriam se refugiado. Eles foram identificados durante uma parada em um posto de gasolina a 80 quilômetros a nordeste de Paris. Imagens de uma câmera de vídeo gravadas quando eles roubavam mantimentos mostram os rostos dos suspeitos, armados de uma kalachnikov e de um fuzil. Eles ainda teriam um lança-foguetes dentro do carro, segundo uma testemunha local.

Durante a fuga, eles também roubaram um veículo Peugeot 206 em Montagny Sainte-Felicité de uma mulher que reconheceu os suspeitos. A operação continuou durante a noite em uma extensa área rural e de florestas onde foi decretado estado de alerta máximo. Homens de unidades de elite da polícia fazem as buscas. 88 mil policiais estão mobilizados nesta caçada. Nove pessoas próximas dos dois suspeitos estão sob custódia.

Irmãos Kouachi estavam na lista negra do terrorismo nos EUA

Em Washington, uma fonte dos serviços de segurança revelou que os irmãos Kouachi estão há vários anos em uma lista negra de suspeitos de terrorismo. Eles são impedidos de pegar voos para entrar ou sair dos Estados Unidos. Outro responsável americano informou que Said foi treinado pela Al-Qaeda no Iêmen em 2011 antes de voltar à França. Um dia depois do luto nacional observado no país, bandeiras continuam a meio mastro nas repartições públicas.
 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.