Islamismo/França

Muçulmanos organizam encontro anual perto de Paris

Estande de véus durante Salão islâmico, perto de Paris, em 2012.
Estande de véus durante Salão islâmico, perto de Paris, em 2012. REUTERS/Gonzalo Fuentes

Cerca de 50 mil pessoas são esperadas durante o final de semana para a enorme feira muçulmana que começou nesta sexta-feira (3), em Bourget, norte de Paris. O evento, que acontece três meses depois dos atentados terroristas em Paris, é organizado pela União das Organizações Islâmicas da França (Uoif), a seção francesa dos Irmãos Muçulmanos.

Publicidade

A comunidade muçulmana na França é a mais numerosa da Europa. O salão expõe desde literatura corânica até vestuários, passando pela alimentação halal. Um congresso político-religioso acontece paralelamente. “Estamos aqui todos os anos, para fazer compras, assistir conferências de imãs e apoiar associações humanitárias”, declarou à agência France Presse Souraya Fradi, uma visitante de origem tunisiana.

Atentados

Esse encontro anual costuma atrair milhares de homens e mulheres, mas este ano o clima pode ser diferente. Os atentados de 7, 8 e 9 de janeiro, que resultaram em 17 mortos, foram cometidos por três jovens franceses muçulmanos. Como consequência, boa parte da população se sente incomodada com demonstrações explícitas de uma religião que ainda não encontrou totalmente seu espaço na França laica.

A Uoif foi incluída em novembro em uma lista de terroristas pelos Emirados Árabes, logo após os tumultos da Primavera Árabe. A União também é vista com desconfiança pelo governo francês. O primeiro-ministro socialista, Manuel Valls, que lançou uma grande ofensiva para combater o radicalismo muçulmano e favorecer um “Islã francês”, alertou várias vezes contra o “discurso” e a “influência” dos Irmãos muçulmanos.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.