França/Migração

Mais uma pessoa morre tentando migrar da França para Inglaterra

Migrantes caminham ao lado de caminhões que se preparam para entrar nos trens
Migrantes caminham ao lado de caminhões que se preparam para entrar nos trens REUTERS/Vincent Kessler

Uma migrante da Eritreia morreu nesta sexta-feira (24), depois de ser atropelada por um carro na estrada de Calais, no noroeste da França. Desde junho, oito pessoas morreram na cidade, quando tentavam embarcar para o Reino Unido.

Publicidade

A jovem, que teria 23 anos, foi atingida enquanto cruzava a estrada na altura de uma saída "que conduz ao terminal de carga" do Eurotúnel, indicaram fontes dos bombeiros. O acidente ocorreu por volta das 5h30 (0h30 de Brasília).

Morte no trem

Na quinta-feira, outro migrante morreu no terminal britânico do Eurotúnel em Folkestone, no sudeste da Inglaterra. De acordo com o porta-voz da empresa, funcionários encontraram o imigrante e chamaram a polícia, que confirmaram a morte.

A polícia britânica disse ter sido informada às 3h13 no horário local (22h13, em Brasília) sobre a descoberta do cadáver de um homem. A idade ainda não pôde ser estabelecida, "mas parecia ser um adolescente", afirmaram os serviços de segurança, acrescentando que foi aberta uma investigação para determinar as circunstâncias da morte.

Vários migrantes morreram nas últimas semanas em Calais, a caminho da Inglaterra, sobretudo, tentando subir nos trens que atravessam o Eurotúnel. Essas tentativas se multiplicaram por causa do aumento do controle por parte das autoridades no porto francês. Cerca de 3 mil migrantes de países como Eritreia, Etiópia, Sudão e Afeganistão continuam instalados precariamente na cidade francesa, à espera de uma oportunidade para embarcar para a Inglaterra.

Fluxo incontrolável

Há uma semana, a ministra britânica do Interior, Theresa May, afirmou que, juntas, as autoridades francesas e inglesas impediram mais de 8 mil migrantes clandestinos de chegar à Grã-Bretanha entre 21 de junho e 11 de julho. De março de 2014 a janeiro deste ano, foram mais de 30 mil tentativas frustradas.

Apesar do reforço no combate à imigração ilegal, na quarta-feira, o grupo Eurotúnel pediu uma indenização de € 9,7 milhões dos governos da França e da Grã-Bretanha. A companhia afirma que teve gastos e perda de receitas relacionados à repressão contra os migrantes.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.