Paris/ataques

Confirmadas identidades de 103 vítimas dos atentados de Paris

"Em nome de quê?", diz a mensagem, junto a uma rosa, colocadas no buraco de um tiro dos atentados em Paris.
"Em nome de quê?", diz a mensagem, junto a uma rosa, colocadas no buraco de um tiro dos atentados em Paris. REUTERS/Pascal Rossignol

Depois de uma visita ao centro de acolhida às famílias das vítimas dos atentados de Paris, o primeiro-ministro francês, Manuel Valls, confirmou que 103 corpos já haviam sido identificados. “Falta ainda estabelecer a identidade de 20 a 30 corpos”, declarou o premiê neste domingo (15). Os ataques de sexta-feira mataram pelo menos 129 pessoas.

Publicidade

Valls garantiu que as famílias serão acompanhadas nos planos jurídicos e financeiros. “Todos os serviços do Estado estão mobilizados, além de associações de ajuda a vítimas e voluntários que estão aqui para ajudar”, acrescentou. O local também tenta ajudar famílias e próximos de pessoas que continuam desaparecidas.

A maioria das 103 vítimas identificadas são francesas, mas há vários estrangeiros na lista de mortos e feridos:

- Brasil: Dois brasileiros continuam internados e um terceiro foi atingido de leve na testa

- Três cidadãos belgas. Um casal de Liége (leste), Milko Jozic, um engenheiro de 47 anos, e Elif Dogan, de 26 anos, de origem turca. Eles viviam em Paris há vários meses. O terceiro é um homem de 28 anos de idade, que também tinha a nacionalidade francesa.
- Um alemão, indicou Berlim, sem fornecer mais detalhes.
- Três espanhóis. Juan Alberto González Garrido, engenheiro de 29 anos, de acordo com as autoridades espanholas e, segundo a imprensa, Jorge Alonso de Celada, nascido em 1956, e Alberto Pardo Touceda, nascido em 1982.
- Dois portugueses. Manuel Dias, um homem de 63 anos, casado e pai dois filhos, que residia em Paris e trabalhava como motorista. E, de acordo com a imprensa, Precilia Correia, de 35 anos, também de nacionalidade francesa que trabalhava em Paris. Ela foi morta no Bataclan, onde estava com o namorado francês, também morto.
- Dois cidadãos romenos, de acordo com Bucareste. Ciprian, de 32 anos, e Lacramioara, de 29 anos. Eles participavam de uma festa de aniversário no restaurante La Belle Equipe e tinham um filho de 18 meses.
- Um cidadão britânico, de acordo com a chancelaria britânica. Nick Alexander, de 36 anos, um apaixonado por música, trabalhava no evento que acontecia no Bataclan.
- Duas jovens tunisianas, irmãs, uma que vivia em Paris e outra no Senegal. Elas estavam comemorando um aniversário, de acordo com várias fontes.
- Três chilenos estão entre as vítimas no Bataclan. Entre eles, Patricia San Martin, de 55 anos, que era "sobrinha de nosso embaixador Ricardo Nunez", segundo a senadora Isabel Allende. Sua filha Elsa Delplace também foi morta, assim como outro chileno, Luis Felipe Zschoche Valle, músico profissional, de acordo com um comunicado oficial.
- Dois argelinos, uma mulher de 40 anos e um homem de 29 anos, de acordo com a agência APS, citando fontes diplomáticas argelinas.
- Um marroquino foi morto e outro foi ferido na perna, mas não corre risco de morte, de acordo com a embaixada do Marrocos em Paris.
- Duas mexicanas de dupla nacionalidade, uma americana e uma espanhola, foram mortas, segundo o México. Um mexicano, ferido, foi operado e se recupera no hospital.
- Muitos americanos também estão entre os feridos.
- Um sueco pode ter sido morto e outro ferido, segundo a diplomacia sueca. De acordo com a imprensa, a pessoa morta seria uma jovem de vinte anos.
- A Itália aguarda notícias de Valeria Solesin, uma estudante de 28 anos.
- Três holandeses ficaram feridos, dois gravemente, de acordo com a informações oficiais.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.