Acessar o conteúdo principal
ATENTADOS DE PARIS

Policiais franceses poderão portar armas fora de serviço

Estado de emergência: sindicatos pedem que policiais possam levar armas para casa.
Estado de emergência: sindicatos pedem que policiais possam levar armas para casa. REUTERS/Pascal Rossignol
Texto por: RFI
3 min

Se a prolongação do estado de emergência for aprovado nesta semana pela Assembleia Nacional e pelo Senado da França, os policiais serão autorizados a portar armas em todas as horas do dia, mesmo quando fora de serviço. A medida, anunciada pelo ministério do Interior, atende a um pedido dos sindicatos dos policiais, mas não é unanimidade entre os próprios políticos do governo.

Publicidade

Logo após os atentados de sexta-feira (13), dois dos mais importantes sindicatos da polícia anunciaram o seu desejo de que os policiais pudessem portar armas 24 horas por dia. “Exigimos que nossos colegas, que assim o queiram, possam ter a oportunidade de portar as suas armas de serviço, o tempo todo e em todos os lugares”, declarou em nota a União Nacional dos Sindicatos Autônomos-Polícia (UNSA-Police). Jean-Claude Delage, secretário-geral da Aliança-Polícia Nacional, considera que “o ministro deve autorizar os policiais a portar as suas armas sem restrição. Esta medida deve se tornar a regra, e não a exceção”.

Medida controversa

Cedendo à pressão dos sindicatos, a Direção Geral de Polícia incluiu no estado de emergência a ser prolongado a possibilidade de que os policiais levem as armas para casa, sob certas condições: que a chefia hierárquica tenha sido notificada, que o policial tenha feito pelo menos uma sessão de exercícios de tiros e que, sobretudo, porte uma faixa da polícia no braço quando usar a arma, para evitar qualquer possibilidade de confusão.

A medida, porém, não encontra unanimidade no seio do próprio partido do governo (Partido Socialista), que está pedindo a prolongação do estado de emergência. O deputado Daniel Vaillant, ex-ministro do Interior, argumenta que “quando os policiais estão de folga, eles, normalmente, estão cansados. Além disso, devemos levar em conta a sua fragilidade… conhecemos bem o índice de suicídios entre os policiais. Essa medida garantirá a segurança das armas quando estiverem em seus domicílios? Como evitaremos o possível roubo de uma arma ou a sua utilização ilegítima? Se não tomarmos cuidado, podemos estar adotando uma medida que se voltará contra os próprios policiais”.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.