Piora a situação das moradias carentes na França

Comunidades carentes: França registra aumento de moradias precárias.
Comunidades carentes: França registra aumento de moradias precárias. AFP PHOTO JACK GUEZ

A Fundação Abbé Pierre alerta: 3,8 milhões de pessoas estão mal alojadas e 1,2 milhão vivem em moradias precárias na França. Somados, os número correspondem a 7,5% da população total do país. 

Publicidade

Entre os 3,8 milhões de pessoas mal alojadas 894.500 são classificadas como pessoas “privadas de moradia” e 2,9 milhões “vivem em moradias muito precárias”, explicou Manuel Domergue, diretor de estudos da Fundação Abbé Pierre, durante uma entrevista coletiva em Paris, nesta quinta-feira (17).

Entre as pessoas que vivem em condições de moradia muito precárias, 2,1 milhões não têm acesso a água corrente, cozinha, aquecimento ou banheiro no interior da casa. Quase um milhão delas habitam moradias “superpovoadas”, faltando-lhes dois cômodos, segundo as normas de ocupação (um aumento de +17% entre 2006 e 2013).

Além disso, a Fundação alerta para as 5,7 milhões de pessoas que fazem um esforço financeiro excessivo para manter as suas moradias (mais de 35% da receita da família, sobrando pouco para outras despesas), e 3,5 milhões de pessoas que alegam passar frio por falta de dinheiro para pagar o aquecimento de seus lares (um aumento de 44% entre 2006 e 2014).

Paris: moradores de rua em barracas de camping.
Paris: moradores de rua em barracas de camping. Gabriel Rocha Gaspar

Na maior parte dos indicadores, aponta a fundação, a situação de moradia tem deteriorado. A única boa nova ficou por conta do saneamento básico (ausência de banheiro e chuveiro no interior da casa), que diminui 41% entre 2006 e 2013.

No dia 28 de janeiro, a Fundação Abbé Pierre apresentará o seu novo relatório anual sobre as más condições de moradia, com o tema “Moradias precárias que nos adoecem”.

Leia aqui o primeiro relatório do ano.

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.