Acessar o conteúdo principal
França

Muçulmanos protegem simbolicamente missa de Natal em cidade francesa

Igreja Saint-Léger, na cidade de Lens, norte da França.
Igreja Saint-Léger, na cidade de Lens, norte da França. Wikipedia
Texto por: RFI
2 min

Na cidade de Lens, no norte da França, a missa realizada à meia-noite do dia de Natal foi protegida simbolicamente por uma dezena de muçulmanos, ato que foi considerado “um gesto forte” pelo presidente da Federação das Associações Muçulmanas da região Nord-Pas-de-Calais, Abdelkader Aoussedj, ouvido pelo jornal Le Parisien.

Publicidade

A iniciativa foi lançada pela união de cidadãos muçulmanos do Pas-de-Calais e teve como objetivo dar “outra imagem aos muçulmanos”. Vestindo coletes vermelhos, os voluntários da associação receberam os fiéis em frente à igreja Saint-Léger. A ação foi inspirada no Egito, onde, em 2011, durante a revolução que derrubou Hosni Moubarak, muçulmanos protegeram igrejas católicas após atos de violência.

“É completamente normal que os muçulmanos respeitem outras religiões e este gesto forte que honra todos os muçulmanos mostra que eles estão ao lado de nossos cidadãos após os atentados de Paris”, disse o líder religioso. “Este é o verdadeiro Islam, nada a ver com estes loucos, com os ovelhas negras”, completou Aoussedj.

Iniciativa aprovada

Os cerca de 200 fiéis católicos reunidos na missa de Natal apreciaram a iniciativa, segundo o jornal Le Parisien. Em sinal de retribuição, o Padre Lemblé – pároco de Saint-François d’Assise – terminou seu sermão convidando os representantes muçulmanos a se aproximar do altar e acompanhar a luz de Bélem, símbolo da paz.

No último mês de setembro, o mesmo padre havia convocado seus paroquianos a se mobilizar para receber imigrantes em um presbitério desocupado, seguindo um pedido do Papa Francisco para que cada paróquia europeia recebesse uma família de imigrantes.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.