França/Hollande

Impopular, Hollande tenta tranquilizar os franceses

No programa, intitulado “Diálogo Cidadão”, François Hollande respondeu às perguntas de representantes da população.
No programa, intitulado “Diálogo Cidadão”, François Hollande respondeu às perguntas de representantes da população. REUTERS/Stephane de Sakutin

Confrontado a baixos índices de popularidade, o presidente francês tentou tranquilizar a população durante um programa de televisão nesta quinta-feira (14). François Hollande garantiu que a França melhorou graças às reformas impostas desde que foi eleito, e disse que vai anunciar, no final deste ano, se pretende tentar se reeleger.

Publicidade

Durante uma hora e meia o chefe de Estado se esforçou para convencer os franceses de que, apesar da impopularidade, ligada principalmente às altas taxas de desemprego e ao projeto de reforma trabalhista no país, a situação está melhor que antes de sua chegada ao poder. Hollande afirmou ter “modernizado o país ao mesmo tempo em que protegeu seu sistema social”. Segundo ele, a França beneficia de “mais crescimento, menos déficits, menos impostos”, além de melhores condições para as empresas e mais poder aquisitivo.

Hollande teve que se justificar

No entanto, o presidente teve que se justificar durante todo o programa, transmitido pelo canal de televisão pública France 2. Hollande, que foi sabatinado por jornalistas mas também por representantes da população, teve dificuldade para convencer uma jovem empresária de que as reformas apresentadas por seu governo representam um progresso. Já um universitário declarou disse que não acreditava mais nas promessas feitas durante a campanha presidencial. O chefe de Estado também teve que enfrentar o desespero da mãe de um jovem que se mudou para a Síria e morreu combatendo ao lado de jihadistas, além das críticas de um eleitor de extrema-direita, que contestou as ajudas concedidas pelo Estado aos refugiados.

Mas Hollande não se deixou abater e disse que vai continuar as reformas, “até o último dia de seu mandato”. Questionado por um dos jornalistas se pretende tentar se reeleger em 2017, o chefe de Estado respondeu, sem titubear, que vai apresentar sua decisão “no final do ano”.

Segundo uma pesquisa de opinião divulgada nesta quinta-feira, mais de três quartos dos franceses não querem que o presidente dispute as eleições. Outra pesquisa aponta que 87% dos entrevistados consideram o balanço do governo de Hollande negativo.

Novos protestos nas ruas

Durante o dia novas protestos contra a contestada reforma trabalhista tomaram as ruas de Paris. Segundo as forças de ordem, cerca de 1700 pessoas participaram da passeata.

Os estudantes desfilaram no norte da capital e a manifestação terminou em violência, com confrontos com a polícia. Seis manifestantes foram detidos. 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.