Acessar o conteúdo principal
França/imigração

Brasileiros são os latino-americanos mais expulsos da França

Policiais franceses escoltam família estrangeira para o aeroporto Charles de Gaulle após terem recebido notificação de expulsão por decisão do tribunal.
Policiais franceses escoltam família estrangeira para o aeroporto Charles de Gaulle após terem recebido notificação de expulsão por decisão do tribunal. JACK GUEZ / AFP
Texto por: RFI
2 min

As nacionalidades que são alvo de expulsões do território francês normalmente são confidenciais. Mas o jornal Le Parisien teve acesso ao documento, que mostra que 92 brasileiros foram obrigados a deixar o país em 2015.

Publicidade

Os brasileiros chegam em 12° lugar na lista, liderada pelos albaneses, com 1934 expulsões. Em seguida vem os argelinos, tunisianos, marroquinos, ucranianos, kosovares, senegaleses, moldávios, georgianos, sérvios e turcos. O número total chega a 10.471 pessoas, mostram as estatísticas da polícia da fronteira. Mas escondem a realidade: os romenos são a nacionalidade mais expulsa pelas autoridades francesas, mas como o país faz parte da União Europeia, não é citado.

Muitos dos expulsos também vêm de países em guerra, onde o retorno representa um real risco de vida, como o Afeganistão, a Síria ou o Iraque. Os dados escandalizam as associações de defesa dos imigrantes, como a Cimade. “Algumas dessas pessoas, se forem entregues às autoridades do país, podem ser condenadas à morte”, diz David Rohi, o representante da Associação, uma das cinco autorizadas pelo governo francês a intervir nos centros de detenção para clandestinos.

Sírios são enviados para o Egito, diz governo

O Ministério do Interior se defende dizendo que os sírios foram enviados para o Egito. “O que constatamos”, diz David Rohi, é que a política do governo é uma resposta pouco adaptada à regularização das migrações dentro da Europa. “ A ideia do sem-documentos enviado para bem longe da França é falsa. Esta é a minoria”, garante a Cimade.

O mais incoerente, revelam policiais sem se identificarem, é que muitos desses expulsos, como romenos ou albaneses, recebem uma passagem do governo para deixarem a França e voltam uma semana depois, porque tem direito à permanência, no país mesmo sob condições – como ter uma atividade profissional, por exemplo. As associações publicaram um relatório hoje sobre as expulsões.

Fonte: Le Parisien
Fonte: Le Parisien @Instagr.am

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.