França/Agricultura/Turismo

A fazenda francesa onde os próprios clientes fazem a colheita

No Jardin d'Imbermais, cada um colhe aquilo que quer comprar.
No Jardin d'Imbermais, cada um colhe aquilo que quer comprar. Joana Carvalho/Divulgação

A pouco mais de 100 quilômetros de Paris, já no Vale do Loire, existe um endereço pouco conhecido dos turistas brasileiros. O Jardin d’Imbermais é uma fazenda que funciona de um jeito peculiar: você pode colher os mais de 90 tipos de frutas, legumes e verduras que são cultivados ali.

Publicidade

Imbermais foi uma das primeiras propriedades francesas a oferecer este tipo de experiência aos compradores. De acordo com um dos donos do local, Jean Luc Gauthier, ele e dois irmãos, após saírem da faculdade de agronomia, decidiram que gostariam de cultivar mas, ao mesmo tempo, queriam ter uma relação próxima aos clientes. Era 1989 e eles começaram com 1,5 hectares cultivados. Hoje, são 22.

“Temos cerca de 90 tipos diferentes de produtos plantados na fazenda e a colheita ocorre de acordo com a estação. Nossos clientes podem consultar pelo site o calendário de colheitas antes de vir”, conta. Os produtos são orgânicos e os irmãos colocam em prática o que Gauthier chama de “luta biológica integrada”. O processo envolve o uso de insetos predadores antagonistas, manejando-os de forma que contribuam para a produção da propriedade. “Não usamos nenhum tipo de aditivos químicos na nossa produção”, conta o fazendeiro.

Loja reúne produção de fazendeiros da região

Além da colheita, a fazenda oferece uma loja onde são comercializados todos os produtos colhidos em Imbermais e também sopas, sucos, compotas e geleias feitas a partir dos produtos locais. A loja funciona ainda como um centro distribuidor de pequenos produtores da região, que vendem queijos, doces e diversos derivados de suas produções agrícolas.

Durante o verão, a fazenda é bastante visitada já que entre os principais produtos são os morangos, framboesas e cerejas. O funcionamento é simples: na entrada, é só pegar um carrinho de mão e seguir as placas indicativas que mostram onde estão as culturas de cada tipo de produto. Na entrada de cada trecho autorizado para colheita – os locais que ainda não estão em produção ficam interditados por cordas – é possível encontrar embalagens plásticas para depositar os produtos colhidos.

Depois de passear e colher tudo que quiser, o visitante volta à loja, na entrada da fazenda, para pesar o que colheu e acertar a conta. No inverno, a colheita fica interditada, mas a loja funciona normalmente, dois dias por semana. O local também recebe grupos escolares e famílias interessadas em visitas pedagógicas.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.