Terrorismo

Governo da França reconhece motivo "terrorista" no atentado de Nice

Mohamed Lahouaiej-Bouhlel: carne de porco, drogas e vida sexual despudorada.
Mohamed Lahouaiej-Bouhlel: carne de porco, drogas e vida sexual despudorada. FRENCH POLICE SOURCE / AFP

O procurador da República, François Molins, confirmou nesta segunda-feira (18), que o motorista de caminhão que matou 84 pessoas agiu de maneira premedita com intenções terroristas. 

Publicidade

Mohamed Lahouaiej-Boulhel, o terrorista morto pela polícia depois de atropelar centenas de pessoas, “não era um homem religioso, comia carne de porco, usava drogas. Era um homem violento e levava uma vida sexual despudorada”, declarou François Molins.

Isso não evitou, porém, que o caminhoneiro tunisiano tenha se interessado pela radicalização muçulmana nos últimos meses. Lahouaiej-Boulhel deixou a barba crescer “por motivos religiosos” e passou a buscar imagens e informações sobre atentados terroristas na internet.
 

Mostrando imagens de decapitações para os amigos, Lahouaiej-Boulhel costumava dizer que estava “acostumado”. Depois, questionava por que o grupo terrorista Estado Islâmico não tinha o direito de possuir um território.
 

Premeditado
 

Segundo os resultados da investigação policial, Lahouaiej-Boulhel alugou o caminhão seis dias antes do ataque, pagando uma caução de mil euros. As imagens das câmeras de segurança das ruas de Nice revelam que o terrorista transitou pelo Passeio dos Ingleses várias vezes nos dias anteriores ao atentado do 14 de julho. Nos dias 12 e 13 de julho, Lahouaiej-Boulhel chegou a ensaiar o percurso do ataque, dirigindo o caminhão-frigorífico.

Não há, contudo, indicação alguma de que Lahouaiej-Boulhel tenha feito contato com o Grupo Estado Islâmico ou houvesse agido em nome dos terroristas, segundo o procurador da República, referindo-se ao grupo que reinvidicou, no sábado (16), a autoria do atentado.
 

Balanço das vítimas
 

Até agora, 84 pessoas morreram no atentado, enquanto 74 continuam hospitalizadas, sendo 28 em estado grave.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.