Acessar o conteúdo principal
França/Refugiados

França constrói muro contra imigrantes no norte do país

Vista aérea da "Selva de Calais", o maior acampamento de imigrantes da França.
Vista aérea da "Selva de Calais", o maior acampamento de imigrantes da França. REUTERS/Charles Platiau
Texto por: RFI
3 min

A França começou nesta terça-feira (20) a construção de um muro para impedir que imigrantes tenham acesso ao porto de Calais, no norte do país. A região abriga o maior acampamento de refugiados do país, onde os imigrantes aguardam em condições deploráveis oportunidades para atravessar clandestinamente, pelo porto ou pelo Eurotúnel, o canal da Mancha e chegar ao Reino Unido. Associações criticam a construção. Nesta quarta-feira (21), novos confrontos entre refugiados e policiais foram registrados no local.

Publicidade

O muro "contra invasões" terá um quilômetro de extensão, quatro metros de altura. Ele está sendo construido a dois quilômetros da entrada do porto de Calais e visa proteger o acesso ao local das "frequentes investidas dos migrantes". Segundo autoridades locais, a construção terminará antes do fim do ano e o muro será vegetal.

O governo francês tenta assim enviar um sinal dissuasivo aos candidatos a imigração cladestina e aos traficantes de seres humanos. Ele defende uma "estratégia global a longo prazo para diminuir a atratividade de Calais para os refugiados" que tentam chegar à Inglaterra. A iniciativa acontece a poucos dias da visita do presidente François Hollande, que deve ir ao local na próxima segunda-feira (27).

A utilidade da barreira foi questionada por associações dos dois lados do canal da Mancha. "Essa é uma péssima forma de gastar o dinheiro dos britânicos (...) Para que fosse eficaz, entre aspas, o muro teria de continuar até Dunkerque, Lille, quem sabe até Paris", criticou o vice-presidente da associação de caridade Albergue dos Migrantes, François Guennoc. "É dinheiro jogado fora", opinou.
"
A prefeita de Calais, Natacha Bouchat, do partido conservador Os Republicanos, salientou que o muro "não vai servir para nada", depois que o ministro do Interior, Bernard Cazeneuve, anunciou o fechamento "o mais rápido possível" do acampamento de Calais.

A maior favela da França

O acampamento de imigrantes de Calais, chamado de "Selva", é considerado a maior favela da França. Oficialmente, 6.900 pessoas moram no local, mas associações calculam que esse número é bem maior. Segundo elas, 10.000 imigrantes vivem na "Selva" em condições deploráveis.

No dia dois de setembro, o ministro do Interior foi até o acampamento para anunciar pessoalmente seu desmantelamento. A operação "de ordem humanitária" vai ajudar cada imigrante "a fazer o seu pedido de asilo" e irá propor a todos uma "solução de alojamento".

Nesta quarta-feira, violentos confrontos entre centenas de imigrantes e forças de ordem ocorreram na rodovia que leva ao porto de Calais. Os policiais lançaram várias bombas de gás lacrimogênio para afastar os homens que tentavam invadir o local. Conforntos como estes são frequentes.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.