Acessar o conteúdo principal

Imprensa francesa homenageia o jogador Carlos Alberto Torres

O ex-jogador Carlos Alberto Torres, vítima de um infarto fulminante
O ex-jogador Carlos Alberto Torres, vítima de um infarto fulminante Reuters
Texto por: RFI
3 min

A morte do ex-jogador Carlos Alberto Torres, vítima de um infarto fulminante na terça-feira (25), tem ampla repercussão na mídia francesa.

Publicidade

O jornal Le Parisien anuncia com pesar o falecimento do capitão da "mítica equipe campeã do mundo de 1970".

Ao lado de Pelé, Tostão, Jairzinho e Rivelino, Carlos Alberto conquistou o terceiro título mundial da seleção, no México, "com uma equipe que é considerada por certos observadores como a mais talentosa de todos os tempos na história do futebol", escreve o Le Parisien.

O jornal ilustra a matéria com a foto de Carlos Alberto levantando a taça Jules Rimet, após a vitória de 4 a 1 contra a Itália na final do torneio. O diário também exibe um vídeo com os grandes momentos do jogo.

A rádio RTL também recorda o gol inesquecível de Carlos Alberto na final contra a Itália, "o 4° da vitória brasileira, após um passe de Pelé". Carlos Alberto marcou 8 gols nos 53 jogos que disputou pela seleção brasileira, destaca a reportagem.

Para dar uma ideia do que a seleção de 70 representa até hoje para os fãs de futebol na França, a revista L'Express faz um breve resumo do que fazem atualmente os "ilustres companheiros de equipe de Capita". 

A revista se refere a Pelé como "o rei da publicidade", fragilizado por problemas de saúde que "deixam os brasileiros preocupados a cada anúncio de hospitalização". Tostão, "o intelectual", acaba de lançar o livro autobiográfico "Tempos Vividos, Sonhados e Perdidos", em que faz reflexões sobre sua carreira no futebol e no breve período em que atuou como médico. Rivelino é lembrado como "o magnífico criador do drible elástico", depois imitado por Ronaldinho. Gérson, o cerebral, não é esquecido pela L'Express, assim como Jairzinho, "o furacão", único jogador a ter marcado gols em todos os jogos de uma Copa do Mundo, no caso sete gols durante os seis jogos disputados pela seleção no México. 

Beckenbauer diz que perde um irmão

O canal de TV BFM diz que o Brasil chora um de seus jogadores legendários e exibe o golaço de Carlos Alberto na final contra a Itália, que até hoje é considerado um dos mais bonitos da história das Copas.

A BFM lembra que, logo que encerrou sua carreira de jogador, em 1982, Carlos Alberto tornou-se treinador, com passagens pelo Flamengo, Corinthians, Monterrey, Botafogo e, por último, pela seleção do Azerbaijão.

Em seu site, o canal de TV publica reações de grandes craques do futebol mundial, como Pelé, que disse no Twitter estar profundamente entristecido pela morte do "amigo-irmão". Clodoaldo e Gerson também se referem ao ex-companheiro de equipe com extrema admiração, "o melhor capitão" de todos os tempos.

As declarações dos alemães Lothar Matthaus, campeão do mundo em 1990, e de Franz Beckenbauer, duas vezes campeão, como jogador, em 1974, e treinador, em 1990, além do companheiro de equipe de Carlos Alberto no New York Cosmos, no final dos anos 70, completam as homenagens.

Beckenbauer diz que ele e sua esposa, Heidi, ficaram chocados com o falecimento súbito do ex-jogador. "Um irmão para mim e um de meus melhores amigos", escreveu Beckenbauer no Twitter.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.