Comportamento/França

Passando adiante o presente de Natal à francesa

Flickr/ Creative Commons

Noite de Natal. Troca de Presentes. Amigo oculto, e bingo! Você ganhou o livro que já leu, o CD que não aguenta mais ouvir, aquele par de meias que nem no inverno dá para usar. Forçando o sorriso, você agradece, beija o amigo (ou aquela tia) e volta para o sofá, já pensando no que fazer com aquele presente indesejado.

Publicidade

Na França, esse problema tem se resolvido de modo cada vez mais rápido (e com menos culpa). Ainda no dia 25, os websites de venda de produtos entre particulares já estão cheios de ofertas de tudo aquilo que você não pediu, mas a tia insistiu em lhe dar.

Só no site do PriceMinister, um dos mais populares da França, 500 mil ofertas foram postadas entre a noite de sábado e a manhã de domingo, segundo o seu diretor-geral, Fabien Versavau.

“É um bom começo. Uma progressão entre 10% e 15% em comparação com o Natal de 2015”, precisou Versavau, prevendo que, no total, 3,5 milhões de presentes indesejados devem ser colocados à venda até meados de janeiro.

No website do eBay francês, o fenômeno se repete. Entre a troca de presentes e o almoço de domingo, 100 mil objetos foram postos à venda, marcando um aumento de 10% a 20% sobre um final de semana normal, lembra a sua porta-voz, Leyla Guilany-Lyard.

O aplicativo da ingratidão

Com a chegada das novas tecnologias, o seu presente indesejado pode ser colocado à venda enquanto você ainda divide uma rabanada com a pessoa que lhe deu aquela inutilidade. Basta uma foto, três cliques no seu smartphone, e pronto! Partiu revenda! Segundo o eBay, 40% dos presentes foram colocados à venda através de aparelhos móveis – os telefones celulares.

“Antes da democratização dos smartphones, era um pouco mais complicado. Há quatro anos, nós criamos um aplicativo para telefones. Com ele você pode botar algo à venda em menos de três minutos”, comenta a porta-voz do site.

Um presente que é a sua cara

No quesito “presente de Natal”, os franceses parecem andar cada vez mais exigentes. Segundo um estudo encomendado pelo eBay, 39% dos franceses informaram ter recebido um presente indesejado no Natal de 2015, contra 22% em 2011.

Entre aqueles que se decepcionaram ou que receberam um presente que já tinham, 50% das pessoas declaram já terem vendido um presente de Natal ou, pelo menos, ter considerado a possibilidade de vendê-lo, segundo um outro estudo, encomendado pelo site Le Bon Coin.

“Os franceses acreditam que aquele presente vendido pode fazer a felicidade de outra pessoa. E o dinheiro arrecado pode lhe proporcionar um presente mais adequado. Definitivamente, os franceses têm cada vez menos escrúpulos na hora de vender os seus presentes”, considera Anne Quemin, do Le Bon Coin.

Segundo Versavau, “a prática da revenda se generaliza na faixa etária entre 18 e 34 anos. Mas ainda há um grande tabu: 85% das pessoas que vendem seus presentes indesejados preferem que a pessoa que lhes deu o presente não saiba da revenda”.

Isto é, a hipocrisia ainda impera: “Que lindo! Adorei!”.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.