Acessar o conteúdo principal
Beleza

Francesa defensora de mundo sem fronteiras vence concurso de Miss Universo

A francesa Iris Mittenaere, estudante de Odontologia de 24 anos, foi coroada Miss Universo nesta segunda-feira (30) em Manila.
A francesa Iris Mittenaere, estudante de Odontologia de 24 anos, foi coroada Miss Universo nesta segunda-feira (30) em Manila. REUTERS/Erik De Castro
Texto por: RFI
4 min

Os franceses celebram a vitória de Iris Mittenaere, uma estudante de Odontologia de 24 anos, e que ainda gosta de cozinhar, no concurso de Miss Universo. A cerimônia de premiação aconteceu nesta segunda-feira (30) em Manila, nas Filipinas. Além de dizer que usaria sua notoriedade para divulgar a higiene bucal, a francesa defende um mundo de fronteiras abertas.

Publicidade

Nascida em Lille, no norte da França, onde mora até hoje, Iris Mittenaere foi Miss França em 2016 e Miss Norte-Pas-de-Calais no ano anterior. Ela superou na etapa final do concurso as concorrentes do Haiti, Raquel Pelissier, e da Colômbia, Andrea Tovar. A representante do Brasil, Raíssa Santana, que chegou a ser apontada como uma das favoritas, ficou entre as 13 finalistas do concurso.

A jovem morena de cabelos longos e 1,72 metro havia prometido, em caso de vitória, utilizar a notoriedade para promover a higiene bucal. Iris confessou adorar "esportes radicais, viagens e preparar pratos da culinária francesa".

Trump criticado: misses defendem fronteiras abertas

O concurso reuniu 86 concorrentes. Na última rodada, quando seis candidatas ainda disputavam a coroa, a francesa foi questionada sobre a crise dos migrantes na Europa. Ela respondeu ser partidária da globalização e das fronteiras abertas. "Ter fronteiras abertas nos permite viajar mais pelo mundo e ver o que acontece em outros lugares", disse.

O presidente americano, Donald Trump, foi alvo de críticas. O bilionário, que já patrocinou o Miss Universo antes de chegar à Casa Branca, foi alfinetado pela Miss Quênia, Mary Esther Were. Classificada para a etapa final, a queniana disse que "Trump não foi a primeira escolha de muita gente". Were, de 27 anos, ainda prestou uma homenagem ao ex-presidente Barack Obama, ao dizer que "ele soube unir toda a nação quando chegou ao poder". O avô paterno de Obama nasceu no Quênia.

O apresentador da cerimônia foi o mesmo do ano passado, o americano Steve Harvey. Em 2016, ele provocou uma grande confusão ao anunciar a vencedora equivocada - atribuiu o título à representante da Colômbia, mas a campeã era a Miss Filipinas. Harvey corrigiu o erro minutos depois, pedindo desculpas a todos, mas a confusão provocou muitas piadas na edição deste ano.

França quebra jejum de 64 anos sem título

Fazia 64 anos que a França não subia ao primeiro lugar do pódio do Miss Universo. A única francesa a alcançar esse feito foi Christiane Martel, em 1953. O concurso, criado há 65 anos nos Estados Unidos, rivaliza com o Miss Mundo, uma iniciativa britânica lançada um ano antes, em 1951. 

A diretora-geral do Miss França, Sylvie Tellier, tuitou que estava "muito orgulhosa" da coroa conquistada por  Iris Mittenaere. "É um momento histórico, de muita emoção", festejou.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.