Acessar o conteúdo principal
França

Primeira graça presidencial de Macron contempla detenta mais antiga da França

O presidente francês, Emmanuel Macron, em imagem de arquivo.
O presidente francês, Emmanuel Macron, em imagem de arquivo. REUTERS/Grigory Dukor
Texto por: RFI
2 min

O presidente francês, Emmanuel Macron, concedeu a primeira graça presidencial de seu mandato, indica o Journal Du Dimanche deste domingo (27). A decisão contempla a detenta mais antiga da França - uma mulher de 73 anos, condenada em 1988 à prisão perpétua por duplo homicídio. 

Publicidade

A detenta que vai se beneficiar da medida é uma ex-prostituta originária de Guadalupe, departamento ultramarino francês. Marie-Claire F. está presa há 33 anos em um regime de prisão severo, em um hospital psiquiátrico da cidade de Rennes, no noroeste da França, por um duplo homicídio; uma de suas vítimas era seu cliente. 

Segundo a imprensa francesa, a graça foi assinada por Macron na última sexta-feira (25). A mulher não deixará a instituição, já que sofre de graves problemas psiquiátricos, mas a decisão do presidente permitirá aliviar suas condições de detenção, como a participação em atividades com outros presos e a possibilidade que ela realize saídas monitoradas. 

Um fim de vida mais tranquilo

A advogada da detenta, Virginie Bianchi, comemorou a decisão. "Minha cliente vai poder enfim ter um fim de vida mais tranquilo e feliz". Segundo ela, tudo o que a idosa desejava era "um pouco de humanidade" e "ter os mesmos direitos que as pessoas ao redor dela". 

Já a presidência francesa evoca uma "decisão humanitária", considerando a degradação do estado de saúde da detenta.

As graças presidenciais são concedidas cada vez menos na França, para "situações inaceitáveis ou humanitariamente difíceis", segundo o Palácio do Eliseu. A útima graça presidencial foi concedida pelo então chefe de Estado François Hollande para Jacqueline Sauvage, em um caso que emocionou o país.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.