Acessar o conteúdo principal
França/homofobia

França: mais da metade dos LGBTs já sofreu agressão, mostra estudo

Alta de agressões contra LGBT na França
Alta de agressões contra LGBT na França AFP PHOTO PIERRE ANDRIEU
Texto por: RFI
3 min

Uma pesquisa do instituto francês Ifop revela que, no total, cerca de 55% dos gays, lésbicas, bissexuais e transsexuais declararam ter sido alvo de ao menos uma agressão homofóbica na vida. Uma alta de cinco pontos percentuais foram registrados em relação a 2018.

Publicidade

O estudo foi realizado através de um questionário disponível on-line entre 12 de maio de 2018 e 24 de abril de 2019. As perguntas foram respondidas por cerca de 1.229 homossexuais, bissexuais e transgêneros franceses maiores de 18 anos, que vivem na região metropolitana.

O número de vítimas de violências físicas dobrou entre junho de 2018 e abril 2019. Os dados também revelam que 22% dos entrevistados declararam ter sido vítima de agressões físicas. Agressões como injúrias, destruição de bens e abusos sexuais continuam estáveis.

Em 78% dos casos, lembra a pesquisa, o agressor é um homem de menos de 30 anos que age na presença de um grupo, mesmo se 21% das vítimas dizem ter sido agredidas por várias pessoas ao mesmo tempo. Porém, apenas 27% delas prestam queixa na delegacia ou buscam ajuda em associações.

Cerca de 60% delas admitem ter cogitado o suicídio no último ano. Esse índice é de 7,2% na população francesa em geral.

Estratégia da invisibilidade

O ambiente homofóbico leva várias vítimas a adotar “estratégias de invisibilidade”. Cerca de 62% dos entrevistados evitam andar de mãos dadas, 63% preferem não beijar em público, pelo menos 37% evitam passear em certos bairros e 33% preferem não voltar para casa sozinhos.

Além disso, a pesquisa revela que 16% dos entrevistados preferiria mudar de cidade por conta da hostilidade que enfrentam. Cerca de 15% dos estudantes de ensino médio gostariam de trocar de escola pelo mesmo motivo.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.