Acessar o conteúdo principal

Boris Johnson quer acordo de livre comércio entre Reino Unido e UE

Boris Johnson, candidato a líder do Partido Conservador Britânico, fala durante um evento de hustings em Belfast, Irlanda do Norte, 2 de julho de 2019.
Boris Johnson, candidato a líder do Partido Conservador Britânico, fala durante um evento de hustings em Belfast, Irlanda do Norte, 2 de julho de 2019. Peter Morrison/Pool via REUTERS
Texto por: RFI
2 min

Caso se torne o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson já definiu uma de suas primeiras bandeiras. A equipe do ex-ministro de Relações Exteriores anunciou nesta terça-feira (2) um plano para abrir negociações com a União Europeia para estabelecer um pacto de livre comércio entre as duas partes.

Publicidade

A proposta vem a público poucos dias depois da assinatura de um acordo histórico de livre-comércio entre a União Europeia e o Mercosul. Ela foi apresentada como uma condição para a continuidade das conversas sobre o Brexit.  

Segundo declarou Iain Duncan Smith, diretor de campanha de Johnson, se Bruxelas se recusar a estabelecer um tratado de livre comércio, o Reino Unido poderá optar por um Brexit sem acordo em 31 de outubro.

"O que Boris disse claramente é: 'Nós não vamos voltar atrás e renegociar (o acordo do Brexit concluído entre Theresa May e a UE), afirmou Iain Duncan Smith à Sky News.

"O que vamos fazer é colocar na mesa uma proposta diferente e dizer aos europeus: 'Escute, queremos um acordo de livre comércio. Nós podemos começar a falar sobre isso em breve” continuou ele. "Mas se a única coisa que interessa a eles é repetir: 'Você não terá nada além do acordo já negociado', então nossa resposta será que estamos prontos para sair sem acordo em outubro ", concluiu.  

À espera do Brexit

A União Europeia tem recusado iniciar negociações sobre futuras relações com o Reino Unido até que o acordo do Brexit seja ratificado.

Esta imprecisão impôs o estabelecimento da cláusula de "backstop", que visa evitar a posterior restauração de uma barreira física entre a República da Irlanda e a Irlanda do Norte. A estratégia cristalizou a oposição dos deputados britânicos e levou à rejeição no Parlamento de Westminster do acordo da saída da EU, em três ocasiões.

Fracassada politicamente, Theresa May deixou o cargo no final de maio. Boris Johnson é o grande favorito para sucedê-la no comando do Partido Conservador e como primeiro-ministro. Ele disputa com o atual líder da diplomacia, Jeremy Hunt.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.