Acessar o conteúdo principal

Brasil integra rota internacional de cocaína, dizem autoridades francesas após apreensão

Porto do Havre, a principal porta de entrada de cocaína na França, onde foram apreendidas 3,5 toneladas da droga em 2017.
Porto do Havre, a principal porta de entrada de cocaína na França, onde foram apreendidas 3,5 toneladas da droga em 2017. REUTERS/Philippe Wojazer
Texto por: RFI
2 min

A polícia encarregada da luta contra os entorpecentes na França apreendeu neste domingo (10) um carregamento de 680 quilos de cocaína em trânsito no porto do Havre, no norte do país.  

Publicidade

Segundo uma fonte ligada à investigação, a polícia francesa do Escritório Central para a Supressão do Tráfico Ilícito de Narcóticos (OCRTIS) chegou a pistas desta entrega graças à cooperação com o Brasil, país de onde a droga teve origem.

Com a ajuda de agentes da polícia judicial (PJ) do Havre e do serviço regional da PJ (SRPJ) de Rouen, policiais antidrogas montaram um sistema de vigilância na área portuária, onde dois contêineres eram considerados suspeitos.

Os policiais seguiram três homens que se apresentaram para recuperar a carga. No apartamento em que eles estavam, em Le Havre, foram encontrados 300 quilos de cocaína, um fuzil Kalashnikov, outras armas de fogo e munição. No porto, a polícia descobriu, em um segundo contêiner, 380 quilos de cocaína. Os três suspeitos foram colocados sob custódia policial.

Apreensões em alta

Na França, as apreensões de cocaína permanecem em níveis elevados devido à abundância da produção sul-americana de entorpecentes. Só em 2018, a polícia apreendeu 15 toneladas de cocaína. Em 2017 o volume chegou a 17,5 toneladas. Desse total, 3,5 toneladas foram apreendidas no porto do Havre, a principal porta de entrada de cocaína na França.

Estima-se que a produção dos três principais países produtores tenha dobrado entre 2016 e 2018 para cerca de 2.000 toneladas por ano. Segundo uma fonte de segurança da França, "os portos do Brasil estão desempenhando um papel crescente no envio de cocaína por contêiner e contribuem para a grande contaminação dos fluxos marítimos internacionais". A via marítima é a mais utilizada para a exportação de grandes quantidades de droga, principalmente por contêineres.

(Com informações da AFP)

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.