Haiti/Furacão

Após passar pelo Haiti, furacão Tomas perde intensidade

Homem atravessa rua alagada em Leogane. O furacão Tomas deixou três mortos na região.
Homem atravessa rua alagada em Leogane. O furacão Tomas deixou três mortos na região. ©Reuters

Depois de deixar sete mortos no Haiti o furacão Tomas perdeu intensidade e foi rebaixado à categoria de tempestade tropical. A notícia é um alívio para as vítimas do terremoto em janeiro que ainda vivem em tendas. Elas preparavam-se para a possibilidade de uma nova tragédia.  

Publicidade

O presidente do Haiti, René Preval, porém pediu que população continue alerta : "As fortes chuvas e rajadas de vento do furacão Tomas, que já provocaram perigosos deslizamentos de terra e fortes inundações, poderão agravar a epidemia de cólera", avaliou. Por precaução, desde quinta-feira passada, todas as escolas haitianas foram fechadas. O presidente Preval também fez apelos em rádios locais para que as pessoas procurassem abrigo longe das áreas de risco.

"Tivemos muita sorte", disse Imogen Wall, prota-voz de ações humanitárias das Nações Unidas no Haiti. A ONU, entretanto, continua a temer um aumento dos casos de cólera no país. Apesar de ter perdido intensidade, Tomas continua a provocar chuvas, o que aumenta o risco de contaminação. O surto de cólera já deixou 442 mortos e contaminou 6.700 pessoas.

O avanço da doença também é a preocupação de Marianna Franco, da Ong ACTED. « A situação dos acampamentos de refugiados é que mais nos preocupa, porque as pessoas estão em abrigos de emergência que correm risco de inundação. No norte do país, onde ocorre agora uma epidemia de colera, a situação também nos preocupa muito porque, com a chuva, o risco de transmissão do cólera fica maior », disse Franco à RFI.

Na sua passagem pela ilha de Santa Lucia, ao sul da Martinica, o furacão Tomas matou 14 pessoas na semana passada.

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.