Acessar o conteúdo principal

Jornais franceses repercutem entrevista concedida pelo presidente Nicolas Sarkozy

Em entrevista na televisão, presidente francês, Nicolas Sarkozy, tenta reverter sua imagem de presidente nervoso e hiperativo.
Em entrevista na televisão, presidente francês, Nicolas Sarkozy, tenta reverter sua imagem de presidente nervoso e hiperativo. Reuters
Texto por: Ana Carolina Dani
3 min

Para a imprensa francesa, Nicolas Sarkozy tentou passar, na entrevista concedida ontem a três canais de televisão na França, a imagem de um presidente sereno, tranquilo e protetor.

Publicidade

A entrevista concedida ontem pelo presidente Nicolas Sarkozy a três canais de televisão na França é destaque dos principais jornais franceses desta quarta-feira.

Para o jornal conservador Le Figaro, o presidente francês tinha 2 objetivos ao falar na televisão. Primeiro, tentar passar a imagem de um presidente mais calmo, sereno e modesto, fazendo, assim, oposição à imagem de hyperpresidente que marcou os três primeiros anos de seu mandato.

Outro objetivo, segundo o Figaro, mostrar que, apesar da forte oposição na França, o presidente vai continuar suas reformas impopulares, uma maneira de mostrar, segundo o Figaro, que o presidente francês vai continuar a frente do governo, ao contrário do que pensavam alguns após a reforma ministerial.

O jornal de tendência socialista Libération traz, em manchete na página principal : "Sarkozy corrigido por Sarkozy". O jornal diz que o chefe de estado tentou ontem suavizar a própria imagem e corrigir seu estilo. Nas palvaras do editorialsta do Libê, o que os franceses viram ontem na tv era uma espécie de sarkozysmo sem o excesso do sarkozysmo.

"Passamos do barroco ao clássico", afirma o jornal francês, que é, entretanto, cauteloso e mesmo dubidativo. O Libêration insinua que a mudança de estilo de Sarkozy tem um objetivo claro : vencer as presidenciais em 2012 e conclui afirmando que, apesar da tentativa, a natureza profundo do presidente é a mesma.

Já o jornal econômico Les Echos dá destaque para as propostas apresentadas pelo presidente francês na área fiscal. Nicolas Sarkozy prometeu, ontem, criar um novo imposto sobre o patrimônio, no ano que vem, o que poderia levar a suprimir o controverso Imposto sobre a Fortuna na França.

O presidente também deu sinais de que pretende sumprimir o não menos controverso Bouclier Fiscal, medida criada em 2006 e que prevê que nenhum contribuinte pode pagar mais de 60% de seus salários e rendas em impostos diretos. Em seu editorial, o jornal também nota que, em sua entrevista coletiva, Nicolas Sarkozy tentou passar uma nova imagem, a de um presidente sereno e protetor.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.