Voo 447 Air France

Secretário francês dos Transportes se reúne com familiares de vítimas

O novo secretário francês dos transportes, Thierry Mariani.
O novo secretário francês dos transportes, Thierry Mariani. Reuters

O novo secretário francês dos Transportes, Thierry Mariani, que entrou no lugar de Dominique Bussereau no ministério este mês, se apresentou, nesta segunda-feira, aos representantes de associações de famílias de vítimas do acidente com o voo AF447 Rio-Paris da Air France e anunciou o início da nova fase de buscas no mar em fevereiro.

Publicidade

Segundo a associação francesa Entraide e Solidarité, este foi o primeiro contato do novo secretário dos Transportes da França, Thierry Mariani, com as associações de familiares de vítimas da queda do Airbus da Air France em maio de 2009. Além de se apresentar, ele aproveitou o encontro para dizer que será lançada em fevereiro a quarta fase das operações no Oceano Atlântico para tentar encontrar as caixas-pretas do avião e outros destroços.

Os detalhes sobre a nova fase de buscas somente serão anunciados no dia 13 de dezembro, em outra reunião que terá a participação do BEA, a agência francesa encarregada de investigar as causas do acidente, que matou 228 pessoas.

O presidente da Associação dos Familiares das vítimas do voo 447, Nelson Marinho.

Em entrevista à jornalista da RFI Solange Kurpiel, o presidente de uma das associações dos familiares de vítimas do voo 447, Nelson Marinho, disse que os brasileiros não foram informados da reunião desta segunda-feira. Ele apenas recebeu um e-mail confirmando a quarta fase de buscas.

As três primeiras campanhas de buscas não ajudaram a determinar com precisão as causas do acidente. Defeitos nas sondas pitot, que medem a velocidade das aeronaves em voo, chegaram a ser apontados como a causa principal da tragédia, mas as investigações da BEA não endossam essa tese.

Em um dos relatórios parciais sobre as investigações, a agência admite que falhas nas sondas pitot podem ter contribuído para o acidente, mas descarta que o problema tenha sido a causa principal da queda do Airbus A330.

Em um documento entregue há cerca de dois meses à Justiça Francesa, a Air France ressalta ter alertado as autoridades sobre os problemas apresentados pelos aparelhos em alguns voos, e acusa a Airbus de negligência.

A companhia aérea tentou várias vezes obter uma explicação da Airbus e da Thales, fabricante das sondas pitot, sobre os defeitos constatados entre 10 de maio de 2008 e o dia do acidente. Mas, segundo o memorando entregue pelas autoridades à Air France, a Airbus e a Thales consideraram os incidentes sem gravidade, e não propuseram soluções. Para os sindicatos de pilotos da companhia, a Air France tinha a obrigação de ter informado seus funcionários.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.